Questão do Enem 2022 de matemática sobre salário e comissão não tem resposta, dizem cursinhos

Cursinhos, plataformas e escolas ouvidas pelo g1 concordaram que não há uma resposta correta dentro das alternativas apresentadas, e que o motivo seria um erro de digitação

Uma das questões da prova de matemática do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022 não tem uma resposta correta entre as alternativas, segundo cursinhos ouvidos pelo g1. O item aparece como 141 na prova rosa, 175 na prova amarela e 157 nas provas cinza e azul.

A questão pede para que o estudante aponte qual "expressão algébrica" representa a composição do salário de um vendedor. No enunciado, o item da prova explica que o funcionário tem um salário formado por uma parcela fixa e também um percentual sobre as vendas.

Os cursos Anglo, Etapa, Objetivo e a Oficina do Estudante, além da Plataforma AZ e das Escolas SEB, concordaram que não há uma resposta correta para a pergunta dentro das alternativas apresentadas.

"A questão 175 [na prova amarela] não tem resposta correta", diz Giuseppe Nobilioni, coordenador de matemática do Objetivo.

Para o coordenador de matemática do Anglo, Rodney Luzio, a questão também não tem resposta por um erro de digitação nas opções. Na avaliação dele, se não fosse esse problema, a resposta correta seria a "d".

"A questão 141 [da prova Rosa] é até uma questão muito simples, mas acreditamos que houve um erro de digitação, porque, no enunciado, ele fala que a parte fixa é 675 e a alternativa que o Enem deveria julgar correta, que é a 'd', está como 625. Então, houve um erro de digitação de uma questão que é extremamente simples, que é uma modelagem de uma função de duas sentenças", disse.

Para o coordenador do Curso Etapa, Edmilson Motta, e a professora da Oficina do Estudante Claudia Ranchel, também não há alternativa correta em razão de um erro de digitação.

Professores de matemática da Plataforma AZ que realizaram a prova neste domingo também concordam com essa avaliação.

O professor de matemática das Escolas SEB Jeferson Petronilho considera que a questão deverá ser anulada pelo Inep. Para ele, se não fosse um erro de digitação na alternativa "e", essa deveria ser considerada a correta. "Na primeira linha dessa alternativa, era para estar escrito 675, como no enunciado, mas digitou errado. Então, é por isso que consideramos que essa é uma questão que vai ser anulada", afirmou.

O Inep, responsável pelo exame, foi procurado para comentar sobre a questão, mas não respondeu até a última atualização da reportagem.