Nego do Borel lança música sobre 'recomeço' em meio a polêmicas com Duda Reis

Funkeiro lançou 'Recomeçar', na noite de quinta-feira (21)

Nego do Borel, lançou, na noite de quinta-feira (21), sua nova música, Recomeçar, em meio às denúncias de abuso físico e psicológico, e estupro da ex-noiva, a atriz Duda Reis. "Esses dias que estive em casa, fiz uma canção, deixei meu coração compor!", disse ele na web.

"Sei que vou lembrar depois de você, daqueles momentos a sós sem querer. Está tudo fresco na memória. Eu sei eu errei, mas quem nunca teve erro algum? Coração vagabundo, mas eu tenho um. Sei que estou preso no passado, atormentando minha mente, mas vou fazer diferente, tudo isso aqui daqui pra frente", diz um dos trechos da música.

"Eu sei que são muitas pessoas que gostam de mim e acreditam no meu trabalho, esses dias tem sido difíceis, fazia tempo que eu não parava pra compor uma canção, então eu parei e deixei meu coração falar, á partir de hoje eu quero só fazer oque mais amo, que são minhas músicas e trabalhar bastante! Por favor escutem essa canção", ainda disse ele.

POLÊMICAS

Duda acusa Nego do Borel de estupro de vulnerável no boletim de ocorrência que fez no último dia 14 e que foi divulgado na íntegra no programa A Tarde é Sua. Ao todo são cinco acusações, entre elas lesão corporal, violência doméstica, injúria e ameça. Todos aparecem como consumados na declaração à polícia.

As agressões teriam começado em 2018: "Comparece a esta Especializada, juntamente com sua advogada, Doutor Izabella, informando que manteve um relacionamento de união estável com o autor durante 9 meses e vivendo juntos há 3 anos, sem filhos. Que no mês de fevereiro de 2018, durante o Carnaval, iniciaram as agressões. Que a vítima nesta ocasião teve seus braços apertados pelo autor, resultando em marcas de agressões. Que nesta mesma ocasião, o autor a ameaçou com uma faca, pois a vítima havia chegado mais tarde no dia anterior. Que nesta data, a vítima tinha comparecido ao sambódromo sem a aprovação do autor. Que a partir desta data, o autor a humilhava e a xingava e continuava agredindo-a fisicamente, tornando continua as rotinas de agressões, inclusive em frente as testemunhas", iniciou o boletim.

Em seguida, Duda relata os danos emocionais causados pelo relacionamento: "Que em outra ocasião, na Páscoa de 2018, o autor teria a empurrado na frente dos amigos do autor, em um evento de caridade (distribuição de ovos de páscoa na favela do borel), no Rio de Janeiro, causando-lhe lesões nas costas. Que juntamente a isso, ocorreram xingamentos e humilhações. Que após esse episódio, o autor tentava se redimir das agressões causadas, dizendo que a vítima 'trazia o pior dele' (sic) e que a culpa era da vítima. Que após os episódios de agressões, a vítima passou a apresentar transtornos psíquicos e emocionais, desenvolvendo anorexia nervosa, bulimia, depressão, e síndrome do pânico, diagnosticado por psicólogo e psiquiatra da vítima."

Segundo trecho do boletim, em agosto de 2018, em uma viagem a Portugal, de 20 dias, Duda teria permanecido dopada com o incentivo de Nego, e ele manteve relações sexuais com ela mesmo sem consentimento.

"Em agosto de 2018, em uma viagem a Portugal com o autor, por 20 dias, a vítima permaneceu dopada de medicamentos com o incentivo de uso de medicamentos pelo autor (dose indicada pelo médico - 2 miligramas de Aprazolan, porém fez uso de 8 miligramas por dia), que retornava dos shows e saídas noturnas e que o autor mantinha relações sexuais não consentidas pela vítima, que estava dopada e a mesma dizia para que o autor não mantivesse relação sexual", diz o boletim, que ainda descreve uma das violências domésticas que Duda teria sofrido.

"Durante a mesma viagem, o autor forçou a vítima a acompanhá-lo em um show. Perante a recusa da vítima, o autor usou a força e a empurrou em direção a um cabideiro do recinto aonde estavam, caindo sobre o solo, resultando em lesões em suas costas e pernas. Mesmo machucada, a vítima ainda foi obrigada a acompanhá-lo ao show. Estava dopada pelo medicamento Aprazolam."

Conforme o depoimento de Duda, ela nunca fez uso de álcool. “A vítima informa que nunca fez uso de entorpecentes ou álcool. Que em 2020, se recorda que, durante o relacionamento, começou usar quantidades maiores de medicamentos e já mencionados e que durante uma discussão, o autor dizia que era para a vítima sair da visão do autor para não 'a comer na porrada'", continua o boletim.

Em outro trecho é citada uma ameaça que Nego fez para Duda. “Implorava para sair do veículo e retornar ao hotel e que ao parar o veículo, o autor a forçou sair, mas que a vítima não saiu e a equipe que estava com o autor impediu que a abandonasse em local deserto. Que o agressor constantemente dizia que todas as crises psicológicas e emocionais eram 'bobagem', mas mesmo assim a incentivava a se dopar com medicamentos.”

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Outro episódio de violência doméstica teria acontecido em 2019 após uma crise de ciúmes de Nego. Duda diz que no mesmo ano, chegou a ser ameaçada de morte pelo cantor, que colocou uma faca em seu pescoço.

"Em outubro de 2019, ocorrido na residência do autor, em uma crise de ciúmes, o autor agrediu com pontapés na perna e arrebentou a 'cabeçadas' a porta do local. Que eram corriqueiros os danos a objetos da residência durante as crises de ciúmes e o mesmo dizia que quebraria os objetos para não ter que 'quebrar a vítima'. Que era comum ameaças de morte a vítima e que o mesmo dizia que bateria o veículo e se mataria. Que acelerava o veículo em direção a postes e desviava, deixando a vítima em pânico. Que o autor teve esse comportamento por diversas vezes. Que em novembro de 2019, após participarem em um churrasco na residência do autor, que estava sob influência de álcool e drogas, a vítima foi ameaçada pelo agressor com uma faca, dizendo que iria matá-la. Que ameaça ocorreu por motivo de ciúmes".