Oxford cria vacina para peste bubônica e quer voluntários para teste

Usando tecnologia semelhante à do imunizante contra a Covid-19, pesquisadores querem acabar com doença que ainda tem casos até hoje

Apesar de a peste bubônica ter acontecido durante a Idade Média, até hoje a doença causada pela bactéria Yersinia pestis ainda é responsável por casos da doença, principalmente em algumas regiões da África e da Ásia. Para erradicar de vez a condição, pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, desenvolveram uma vacina que está pronta para ser testada em humanos.

Usando uma tecnologia semelhante à dos imunizantes contra a Covid-19, a vacina foi testada apenas em animais, mas apresentou bons resultados. Os pesquisadores estão procurando voluntários saudáveis entre 18 e 55 anos para participar do estudo, e cada um receberá cerca de R$ 4,4 mil.

A peste bubônica pode ser transmitida para humanos por meio da picada de pulgas infectadas por animais, e entre pessoas por contato com fluidos corporais. Sem tratamento, a doença mata rapidamente — dependendo do tipo de infecção, alguns casos têm 100% de taxa de mortalidade.

Os sintomas iniciais da doença são febre, calafrios, dores e fadiga, que progridem para dor e inflamação nos linfonodos. Se a bactéria entra na corrente sanguínea, pode causar vômitos, diarreia, sangramentos e gangrena em partes do corpo. O tratamento atual é feito com antibióticos, mas precisa de diagnóstico rápido para funcionar.

“Muitas áreas que passam por surtos são remotas, e uma vacina efetiva poderia ser uma estratégia de prevenção de sucesso para combater a doença”, diz Christine Rollier, cientista da Universidade de Oxford.