Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > CIÊNCIA E SAÚDE

Homens com baixa testosterona têm maior probabilidade de morte precoce

Homens com níveis baixos de testosterona têm maior risco de morrer, mas médicos não sabem se queda é a causa


				
					Homens com baixa testosterona têm maior probabilidade de morte precoce
O levantamento, que consolidou resultados de 11 pesquisas. Getty images

Há muitos anos, a medicina estuda os potenciais efeitos da testosterona para o funcionamento do organismo dos homens. Um estudo publicado na revista científica Annals of Internal Medicine na terça-feira (14/5) mostra que a deficiência do hormônio pode estar relacionada a um maior risco de morte precoce, antes dos 70 anos.

O levantamento, que consolidou resultados de 11 pesquisas, foi liderado por uma equipe da Universidade da Austrália Ocidental e comparou estudos que investigaram o efeito dos níveis de testosterona na expectativa de vida de homens de diversas idades, a maioria deles idosos que foram acompanhados por pelo menos cinco anos.

Leia também

Os cientistas analisaram mortes por qualquer causa, mas identificaram principalmente um aumento nos óbitos por consequência de doenças cardíacas entre os participantes com baixos níveis de testosterona. A substância é o principal hormônio sexual masculino, é produzida no testículo e regula múltiplos processos no organismo, da quantidade de pelos ao aumento de massa muscular.

A investigação não conseguiu descobrir se a baixa testosterona dos participantes era uma consequência ou causa das doenças que levaram à morte dos participantes, já que muitas condições de saúde, como a obesidade, são fatores de risco para quadros cardíacos e podem levar à diminuição da produção do hormônio.

O que significa ter testosterona baixa?

Descobrir o que é considerado um nível baixo de testosterona é desafiador, uma vez que idade, etnia, hábitos de saúde e alimentação fazem com que a quantidade de hormônio de uma pessoa não seja ideal para outra. O recomendado pode ir de 300 a mil nanogramas de testosterona por decilitro (ng/dL) de sangue.

Nas pesquisas científicas, só é considerado nível baixo do hormônio o inferior a 200 ng/dL. Porém, alguns homens que normalmente têm 900 ng/dL, por exemplo, podem ter queda de 300 nanogramas e chegar a 600 — o patamar seria considerado saudável pelo padrão, mas para o caso particular do indivíduo, não.

Os níveis de testosterona diminuem à medida que os homens envelhecem, caindo cerca de 1% ao ano a partir dos 30 anos por causa da diminuição da capacidade dos testículos de produzir o hormônio.

O que a análise australiana identificou é que quanto menores os níveis de testosterona, maiores são os riscos de morte por diversas causas — os níveis ideais do hormônio não foram determinados.

Em artigo publicado no portal de divulgação científica The Conversation, o bioquímico Daniel Kelly, da Universidade Sheffield Hallam, no Reino Unido, ressaltou que os resultados do estudo também são uma provocação para que homens façam check-ups regulares e conheçam seus níveis hormonais ideais.

“Os homens certamente deveriam tentar evitar hábitos que reduzam os níveis de testosterona, adotando um estilo de vida saudável e evitando o ganho de peso. Quando os níveis estão baixos nos exames médicos, o tratamento para repor o hormônio pode ser uma opção, mas apenas com recomendação médica”, conclui.

Leia a matéria completa em Metrópoles.com

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas