Farmacêuticos alagoanos falam sobre novos medicamentos para tratamento de câncer

Três novos medicamentos foram incluídos no tratamento do câncer, são eles: brigatinibe, trifluridina + cloridrato de tipiracila e o venetoclax após aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os novos medicamentos são utilizados nos cânceres de pulmão, colorretal e gástrico e leucemia linfocítica crônica.

Daniel Porto e Emília Manuela, membros do Grupo de Trabalho de Oncologia do Conselho Regional de Farmácia de Alagoas, explicam que estes medicamentos já passaram pela fase clínica com números e respostas importantes. “Os guidelines indicam que estas alternativas associadas ou não à quimioterapia venosa apresentaram sucesso terapêutico, o que é muito animador”, falaram.

Segundo o farmacêutico, o tratamento com as novas drogas é feito via oral, ou seja, por meio de cápsulas ou comprimidos. A vantagem é que o paciente não necessita ir para um ambiente ambulatorial e/ou hospitalar para realização de quimioterapia infusional (de acesso venoso). “Isso diminui o desconforto para os pacientes que têm acesso difícil, além de permitir que ele faça o uso do medicamento em casa ou no trabalho sem comprometer sua rotina habitual”, afirmou.

Emília pontua que a administração do medicamento é feita de forma simples e rápida, mas, ainda assim o paciente - durante o tratamento -deve ter o acompanhamento do profissional farmacêutico. “No âmbito da assistência farmacêutica, cabe a nós, profissionais, prestar orientação e acompanhar os usuários quanto aos fatores que colocam em risco seu tratamento, como por exemplo, o ambiente onde vivem, a melhor forma de armazenar e utilizar seus medicamentos para que a adesão farmacêutica alcance os resultados desejados”, comentou.

Os farmacêuticos dizem que estes não são medicamentos baratos, mas, acabam sendo uma alternativa de terapia farmacológica a depender da classificação e estágio da doença. “Antigamente o paciente só tinha opção de terapia farmacológica via acesso venoso e, hoje, já existem outras drogas em utilização na terapia oral antineoplásica. A recente inclusão do Venotoclax, no rol dos medicamentos, garantindo a sobrevida e no tratamento, pode ser considerado como de primeira linha de escolha para pacientes com Leucemia Linfócita Crônica (LLC), quanto LMA (Leucemia Mielóide Aguda)”, disseram.

*Com assessoria