Alagoas tem 30 casos suspeitos de varíola dos macacos

Único caso confirmado é de um jovem de 22 anos, natural do Espírito Santo (ES); seis casos foram descartados

Subiu para 30 o número de casos suspeitos de Monkeypox, a varíola dos macacos, em Alagoas, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). No total, 36 casos foram notificados, mas seis já foram descartados após exames laboratoriais. As informações foram atualizadas na tarde deste sábado (13).

Dos 30 pacientes, 17 são do sexo feminino, enquanto 19 são do sexo masculino. Os exames de diagnóstico são processados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Os pacientes são das seguintes cidades de Alagoas: um de Rio Largo, um de Ouro Branco, um de Penedo, um de Branquinha, um de Murici, um de Pariconha, um de Chã Preta, um de Coruripe, um de Olho d'Água do Casado, um Piaçabuçu, um Santana do Ipanema, dois de Batalha, dois de Arapiraca, três de Inhapi e 12 de Maceió.

Segundo a Sesau, os pacientes classificados como casos suspeitos permanecem sob monitoramento das Vigilâncias Epidemiológicas dos municípios de origem. Conforme informações atualizadas, eles estão em isolamento domiciliar, sem evolução negativa do estado de saúde e, após cumprirem o período de isolamento preconizado, serão liberados.

O único caso confirmado em Alagoas foi o de um jovem de 22 anos, natural do Espírito Santo (ES), foi testado quando se encontrava em viagem a Alagoas e apresentou resultado positivo para a Monkeypox, conforme resultado apresentado pela Fiocruz, caracterizando um caso importado. Entretanto, ele já retornou para o Estado de origem e o Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs) de Alagoas já comunicou o caso às autoridades sanitárias do ES.