Quatro pessoas morrem em queda de avião em região de mata em MT

Na aeronave, estavam o piloto e outras três pessoas da mesma família. A queda foi na rodovia da MT-130, na região de Primavera do Leste, a 219 km de Cuiabá

Quatro pessoas foram encontradas mortas após a queda de um avião de pequeno porte em uma chácara na rodovia MT-130, região de Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, na noite dessa quinta-feira (31).

Os bombeiros informaram que, no veículo, estavam o piloto, Dan Halan Toledo Martins, de 27 anos, e outras três pessoas da mesma família, identificadas como Juvenal Entringer, 63 anos, e os filhos dele, Guilherme Venturini Entringer, 33 anos, Lucas Venturini Entringer, 32 anos.

Os corpos foram retirados da aeronave, modelo Cessna 210, PT-IXG, por volta das 2h desta sexta-feira, e foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a suspeita é que o acidente ocorreu devido ao mau tempo.

O piloto Dan Halan Toledo Martins, de 27 anos, morreu no acidente aéreo - Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Testemunhas disseram que ouviram um forte barulho por volta das 22h30. Tempo depois, os bombeiros foram acionados e encontraram as vítimas já sem vida e o avião destruído devido à queda.

Avião caiu em área de mata no interior do estado - Foto: Foto- Divulgação

Segundo a Polícia Civil, a aeronave caiu em uma área de mata, local de difícil acesso, em uma chácara que fica a pouco mais de 5 km da cidade de Primavera do Leste, sentido Paranatinga.

De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o modelo Cessna Aircraft 210 tem o registro de aeronave privada para serviços aéreos privados. O sistema aponta a situação de aeronavegabilidade como normal.

O status da operação é negada para táxia aéreo. Segundo o Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), isso significa que essa aeronave só poderia fazer missões de serviço privado e não poderia ser contratada para fazer qualquer tipo de serviço.

Ainda não foi confirmado se esse era o caso do voo. O proprietário da aeronave, segundo a Anac, é Jorge Francisco Mira, dono de uma cooperativa. No entanto, ele não estava no voo.

As causas do acidente são investigadas pelo Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) e pela Polícia Civil de Mato Grosso.