Petista mata amigo bolsonarista a facadas após discussão em São Paulo

Crime aconteceu na cidade de Itanhaém; Polícia Militar informou que os homens moravam juntos há cinco anos

Suspeito de matar o amigo a facadas após uma discussão por discordância política, na Avenida Santo André, em Itanhaém, no litoral de São Paulo, um homem foi preso nesta quarta-feira (5). O suspeito do crime é eleitor de Lula (PT), enquanto a vítima apoiava Jair Bolsonaro (PL).

Após ser detido pela Polícia Militar, homem, identificado como Luis Antônio Ferreira da Silva, de 42 anos, confessou o assassinato e relatou que morava junto com a vítima, José Roberto Gomes Mendes, de 52 anos, há cinco anos.

O corpo do bolsonarista estava no chão, com oito ferimentos de faca espalhados pelo rosto, costas e pescoço, segundo a polícia. Ele usava uma camisa com a foto de Bolsonaro.

Em depoimento, o homem relatou que a discussão começou durante o almoço, quando a vítima disse que "todo petista era ladrão" e recebeu como resposta que ele "estava comendo a comida que o petista comprou".

De acordo com o relato, José Roberto atirou uma panela em sua direção e, na sequência, pegou uma faca para atacá-lo. Os dois entraram em luta corporal, quando Luis Antônio tomou o objeto e golpeado a vítima.

O homem foi conduzido à Cadeia Pública de Peruíbe, também no litoral de São Paulo. A Prefeitura de Itanhaém (SP) informou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atendeu a ocorrência e que ambos tinham “instabilidade emocional”.