Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > BRASIL

Ciclone extratropical deve causar mais chuva e ventos ao RS

Áreas mais afetadas incluem o sudoeste, centro ocidental, centro oriental, sudeste e a Região Metropolitana da capital


				
					Ciclone extratropical deve causar mais chuva e ventos ao RS
Cheia do Rio Guaíba ameaça Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, após dias de chuva forte (14/5/2024). Jefferson Bernardes/Getty Images

A formação de um novo ciclone extratropical está prevista para atingir o Rio Grande do Sul a partir desta segunda-feira (27), trazendo fortes chuvas e ventos intensos. Segundo a MetSul Meteorologia, o fenômeno se formará devido a um sistema de baixa pressão atmosférica que se desloca da Argentina e do Paraguai.

As áreas mais afetadas incluem o sudoeste, centro ocidental, centro oriental, sudeste do Rio Grande do Sul e a Região Metropolitana de Porto Alegre.

Leia também

Os ventos podem atingir até 60 km/h, e há possibilidade de temporais severos. A Defesa Civil alerta para o risco de enchentes e deslizamentos de terra, recomendando que a população siga as orientações das autoridades e monitore constantemente as previsões meteorológicas. Medidas preventivas, como obras de infraestrutura, são essenciais para minimizar os impactos dos ciclones.

Formação de um ciclone extratropical

Os ciclones extratropicais são fenômenos comuns em latitudes médias, resultantes do contraste de temperaturas entre o ar quente equatorial e o ar frio das latitudes mais altas. Embora sejam mais frequentes na Europa, América do Norte e Ásia, também ocorrem na América do Sul, incluindo o Brasil. Este tipo de ciclone é caracterizado por fortes ventos, chuvas intensas e, dependendo da região, até neve.

A MetSul explica que esses fenômenos podem durar vários dias e se deslocar por longas distâncias. No caso dos ciclones extratropicais, a energia vem de contrastes térmicos horizontais, ao contrário dos ciclones tropicais, cuja energia provém da evaporação da água do mar.

Para minimizar os impactos, é crucial que as autoridades realizem obras de infraestrutura e que a população esteja bem informada e preparada para buscar abrigo seguro durante a passagem do ciclone. A conscientização sobre a importância das medidas preventivas pode salvar vidas e reduzir danos materiais.

Este fenômeno meteorológico ressalta a necessidade de um monitoramento contínuo e de uma resposta rápida e eficiente das autoridades e da população para enfrentar as adversidades climáticas.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas