Artigo | Dra. Simone L. Savaris

Viagra e Coração - quando saber a hora de usar? - ou de não usar

Estudos realizados até o momento demonstram que o Viagra é um remédio seguro para ser utilizado por pessoas que não tem nenhuma doença cardíaca

Dra. Simone L. Savaris

Cardiologista Clínica Especialista em Insuficiência Cardíaca e Transplante de Coração CRM/RS 40463 / RQE 34953

Há uma semana eu estava no hospital quando fui chamada pela equipe da emergência para avaliar um paciente com suspeita de infarto. Ao chegar lá, encontrei o paciente jovem, ele tinha 46 anos, com muita dor no peito, ansioso e preocupado com sua situação de saúde, ele dizia que estava com muito medo, pois nunca havia sentido uma dor tão forte antes.

Durante o atendimento, como de costume, conversei com ele para entender como havia começado a dor no peito e como ele tinha chego até o hospital e, durante essa conversa, ele me contou que fazia uso de Viagra pelo menos uma vez por mês há algum tempo e nunca teve problemas.

Por outro lado, ele também nunca havia consultado um cardiologista para fazer um check up, não sabia se era hipertenso, diabético ou se tinha alguma doença cardiológica. Entretanto, às vezes ele sentia uma dor no peito e tomava um comprimido de por debaixo da língua (nitrato sublingual) que era o mesmo que seu pai tomava para angina, mas nunca se preocupou porque era só de vez em quando.

E essa era uma das razões de estar tão amedrontado, afinal sempre se considerou um homem forte e saudável, apesar dessas dores no peito, nunca teve uma dor tão forte como a deste dia.

Pois bem, apesar de não acontecer todos os dias, vez que outra vemos um caso de alguém que teve um infarto, um problema cardíaco ou por vezes até acabou falecendo depois de usar o viagra, não é mesmo? Tenho certeza que você que está lendo esse artigo certamente já viu uma história assim, ou já ouviu alguém contar!

Então, isso significa que o viagra causa infarto?

Não, não é isso!

O que acontece é que essas medicações tem como efeito causar vasodilatação, ou seja, dilatam as artérias facilitando e aumentando o fluxo sanguíneo através delas e, principalmente em indivíduos que já tem algum problema cardíaco, pode acontecer uma queda muito grande da pressão arterial e as complicações são secundárias à este efeito.

Os estudos realizados até o momento demonstram que o Viagra é um remédio seguro para ser utilizado por pessoas que não tem nenhuma doença cardíaca - claro que respeitando as doses (porque se exagerar na dose também podem surgir problemas).

Por outro lado, indivíduos cardiopatas devem ter mais cuidado e não devem fazer uso da medicação por conta, sem conversar com o seu médico cardiologista.

Além do remédio por si só poder prejudicar o fluxo sanguíneo através das artérias do coração, pelo risco de queda da pressão, ele também pode ter interação com outros remédios, como é o caso dos nitratos.

Os nitratos, como o mononitrato de isossorbida e o isordil, são medicamentos utilizados para o tratamento da angina em pacientes que tem placas de gordura nas artérias do coração, tanto os que já infartaram quanto alguns que nunca tiveram infarto. E os nitratos - assim como o viagra - também causam vasodilatação das artérias, mecanismo através do qual eles causam alívio da dor no peito.

Devido à isso, no caso de uma pessoa que usa nitrato utilizar também o viagra sem respeitar um intervalo de tempo de pelo menos 24 horas, a vasodilatação causada pelos dois medicamentos pode causar uma queda da pressão que é assustadora e pode ser muito perigosa, até mesmo fatal.

Então, para finalizar a nossa conversa por aqui e responder à pergunta inicial - o Viagra costuma ser um remédio seguro para a maioria dos homens, respeitando-se as doses adequadas, principalmente àqueles que não tem doença cardíaca prévia.

Já quem tem alguma doença cardíaca, principalmente se for doença nas artérias do coração com angina ou insuficiência cardíaca, que é a doença do coração dilatado e fraco, pode fazer uso a depender do seu quadro clínico, pois o remédio pode não ser tão seguro em todos os casos. Por isso, se você tem doença cardíaca, antes de tomar pergunte ao teu cardiologista se está liberado.

E, por fim, para aqueles cardiopatas que utilizam nitratos diariamente para tratamento da doença cardíaca, o melhor é não usar!