Artigo |

Estilo de Vida e o Câncer

Pacientes com estilo de vida menos saudável e risco genético mais alto tiveram 2,99 vezes nos homens e 2,38 vezes nas mulheres mais probabilidade de desenvolver câncer

Myra Jurema da Rocha Leão

Mestra em Ciências Médicas – UFAL - Especialista em Cirurgia Oncológica – SCMM. Graduada em Medicina – UFAL CRM/AL - 5116

Olá pessoal!

Estou aqui hoje para falar com vocês sobre um assunto bastante relevante. Mas antes, gostaria de te fazer uma pergunta:  - Você já deu uma olhada ao seu redor e percebeu como o número de pessoas com diagnóstico de câncer tem aumentado de forma rápida e crescente?

Dados atualizados do INCA, tem demonstrado o aumento dos casos de neoplasias malignas na população brasileira. Essa enfermidade é causada por múltiplos fatores que resultam em uma alteração nas células normais do corpo, as quais deveriam crescer e se dividirem de forma ordenada para substituir células que morrem. Essas passam por um processo de “mutação” do seu material genético (DNA) e começam a se comportar de forma desordenada.

Na verdade, o câncer é o principal problema de saúde pública no mundo e já está entre as quatro principais causas de morte prematura (antes dos 70 anos de idade) na maioria dos países. A incidência e a mortalidade por câncer vêm aumentando no mundo, em parte pelo envelhecimento, pelo crescimento populacional, como também pela mudança na distribuição e na prevalência dos fatores de risco de câncer, especialmente aos associados ao desenvolvimento socioeconômico.

Verifica-se uma transição dos principais tipos de câncer observados nos países em desenvolvimento, com um declínio dos tipos de câncer associados a infecções e o aumento daqueles associados à melhoria das condições socioeconômicas com a incorporação de hábitos e atitudes associados à urbanização (sedentarismo, alimentação inadequada, entre outros).

Em parte, algumas pessoas podem herdar um DNA anômalo, o que chamamos de doença hereditária, porém a maioria dos danos do DNA é causada por erros que ocorrem quando as células normais estão se multiplicando e são expostas a algum elemento do meio ambiente.

Um estilo de vida mais saudável, sem consumo de cigarros e bebida alcoólica, baixo índice de massa corporal e com prática regular de atividades físicas, pode contribuir para a diminuição da incidência de câncer mesmo em pessoas com alto risco genético para o desenvolvimento de tumores.

A conclusão é de um recente estudo publicado na revista científica Cancer Research, da Associação Americana para a Pesquisa do Câncer, que avaliou dados genéticos e de estilo de vida de um biobanco inglês com 202.842 homens e 239.659 mulheres. O trabalho envolveu o cálculo do risco individual genético para 16 cânceres em homens e 18 em mulheres.

Entre os pacientes com alto risco genético, a incidência de câncer em cinco anos foi 5,51% em homens e 3,69% em mulheres com estilo de vida mais saudável —contra 7,23% em homens e 5,77% em mulheres com estilo de vida não saudável.

Pacientes com estilo de vida menos saudável e risco genético mais alto tiveram 2,99 vezes (nos homens) e 2,38 vezes (nas mulheres) mais probabilidade de desenvolver câncer do que aqueles com um estilo de vida saudável e com um risco genético mais baixo. Os achados desta pesquisa nos fazem crer que é possível modificar o risco de câncer, adquirindo hábitos saudáveis, independentemente do risco genético que a pessoa já tenha.

Qual é a nossa realidade? Vivemos em uma época em que o avanço acelerado da tecnologia da informação e a multiplicação do conhecimento tem trazido também inúmeras mudanças no estilo de vida das pessoas. O que antes se fazia de modo manual, hoje temos os controles remotos, os vidros elétricos dos automóveis, os elevadores, os trabalhos remotos... Enfim, estamos no “modo acelerado” em produzir, economizando tempo de instantes a sós, momentos de lazer com a família e reflexão sobre nossas escolhas, assim como tempo para praticar atividades físicas ao ar livre, tão importante para higiene mental.

Abrimos mãos de muitas outras coisas em busca de “otimizar” o nosso tempo, deixamos de apreciar uma boa refeição a mesa, comemos qualquer fast food, fazemos jejuns contínuos desregrados, privamos nosso sono, muitos adotam vícios de cigarros e bebidas alcoólicas, quando já não se podem suportar suas próprias cobranças. Alcançamos um estilo de vida completamente incoerente com àquele para o qual fomos projetados... E as consequências têm sido desastrosas.

Resultado disso? Sedentarismo, obesidade, depressão, eventos cardiovasculares, doenças psicossomáticas, insatisfação no trabalho, mal humor, doenças crônicas, enxaquecas, baixa produtividade e finalmente o câncer...

Agora vem a melhor parte! Quais são as dicas para impedir que essa bola de neve nos envolva e nos leve para o precipício?? Quem não conhece as sagradas escrituras, podem até julgar, equivocadamente, como um livro antigo e ultrapassado, mas a verdade é que para fazer leitura de tal livro, não se pode fazer de qualquer maneira. Precisamos fazer de modo espiritual, com ajuda do Espírito Santo de Deus que discerne bem todas as coisas, assim estaremos diante do bem mais precioso que alguém poderia receber... Nosso manual de vida!

Nelas encontramos mensagens de esperança e sabedoria, elas são poderosas para nos exortar, nos edificar, nos consolar. Verdadeiramente a Palavra nos ensina como viver neste mundo, examinando-as percebemos que há um tempo determinado para cada coisa debaixo de céu, precisamos ser pacientes, equilibrados e esperar com confiança para vencer cada desafio.

Precisamos dormir bem! A privação do sono nos traz alterações metabólicas, hormonais e imunológicas, propiciando o desenvolvimento de doenças agudas e crônicas. Descansar é necessário, férias, pausas no trabalho, momento de respirar fundo, momento de refletirmos sobre nossas prioridades faz a mente relaxar, nos tornarmos criativos além de aliviar as tensões do dia a dia.

Trabalhar naquilo para o qual fomos capacitados, onde encontramos prazer e felicidade, diminui o stress. A satisfação de fazê-lo nos torna mais produtivos e eficientes, eu creio que cada um tem o dom e um chamado, e se estivermos alinhados com a vontade do nosso Criador, não existe dúvidas que iremos prosperar onde formos plantados...

Na carta de Paulo aos coríntios, Paulo nos aconselha a sermos equilibrados e alegres, o que só alcançamos quando aliviamos o peso da culpa, das preocupações, aflições, renunciamos aquilo que não podemos resolver e entregamos nas mãos Daquele que pode todas as coisas, porque além de ser o Criador, permanece sustentando todas as coisas. E como posso fazer isso? Tendo uma vida de oração, descansando no Senhor e desfrutando a vida enquanto Ele está cuidado de tudo!

Além de trabalhar naquilo para que fomos capacitados, termos uma vida devocional e equilibrada, dormirmos bem, buscarmos desfrutar nossa vida com alegria, necessitamos também adotar algumas medidas que irão contribuir com essa “psicologia positiva”. Não se importando tanto com o que as pessoas pensam ao nosso respeito, pois essa atitude nos impõe medos e angústias pela insegurança de não atender a expectativa das pessoas que estão ao nosso redor. Há uma necessidade de cultivar bons pensamentos ao nosso respeito e do próximo, alimentarmos bem, praticar atividade física regular, o que vai nos assegurar regularização dos eixos endócrino- metabólicos e trarão benefícios para nossa saúde física, mental e espiritual.

Se vocês se empenharem em seguir esses preciosos conselhos, não restará dúvidas, que suas vidas terão muito mais sentido e valerão muito mais a pena! Ficam as dicas! @dramyraleao