Servidores da Educação em Arapiraca anunciam protesto e possibilidade de greve

Categoria busca recomposição salarial e diálogo com a gestão do Município, afirma Sinteal

Servidores da Educação em Arapiraca, no Agreste de Alagoas, podem entrar em greve após o não cumprimento de um acordo firmado pela categoria com a gestão municipal. As informações são do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (Sinteal). Em busca de diálogo e cobrando recomposição salarial, os trabalhadores dizem que irão às ruas, nesta quarta-feira (28), às 8h30.

De acordo com Maria Consuelo Correia, presidente do Sinteal, o ato público ocorrerá em defesa da valorização dos profissionais da Educação do município e pela garantia de recomposição salarial.

“A busca é pela recomposição salarial, que prevê o reajuste de 33,34% no Piso Nacional. O fato é que há recursos, seria possível aplicar o piso. O prefeito garantiu 15%, depois de uma longa luta, inclusive com a ocupação do centro administrativo. Entretanto, ele assinou um compromisso de, agora em setembro, rever o crescimento e equipará-lo aos recursos do Fundeb, aumentando esse percentual”, explica a sindicalista.

Para o Sinteal, houve uma quebra de acordo por parte da gestão municipal. A professora afirma que a classe buscou dialogar com o prefeito, mas sequer foi recebida pelo gestor.

“A categoria concordou naquele período, com a garantia de, em setembro, aumentar para 15%. Há duas semanas, no entanto, de forma unilateral, o prefeito garantiu 5%, encaminhou a proposta para a câmara e, ainda, publicizou que houve diálogo com o sindicato e a categoria. Daí vem a nossa insatisfação", complementa Maria Consuelo.

“O ato vai acontecer e, se não houver diálogo, a categoria vai entrar em greve. Estamos buscando, ao menos, uma recomposição mais justa”, conclui a presidente do Sinteal.

A mobilização ocorrerá na quarta-feira (28), às 8h30, na Praça Luiz Pereira Lima, no centro de Arapiraca.