Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > AFUNDAMENTO DO SOLO

'Mina 18 está em processo de estabilidade', aponta Defesa Civil

Equipamentos já não detectam atividades sísmicas e alterações em pressão

A Defesa Civil de Maceió informou, nessa terça-feira (19), que a mina 18 está em processo de estabilização, apresentando redução na subsidência vertical (afundamento).

"Os sismógrafos já não detectam atividades sísmicas e os piezômetros não mostram mais alterações em pressão", afirmou o coordenador da Defesa Civil, Abelardo Nobre.

Leia também

Segundo ele, ainda há um processo erosivo para acontecer de forma natural, aumentando um pouco o diâmetro, mas nada que não tenha sido previsto. Na próxima sexta (22) ou terça-feira (26), a Defesa Civil informou que haverá um gráfico com dados mais consistentes comparando a redução nesse processo e a estabilização.

Em relação às demais minas, o monitoramento continua. "As outras minas continuam sem apresentar alteração. Lembrando que toda a área sofre um processo de subsidência, que não é natural, mas que está sendo monitorada 24h", finaliza.

As recomendações de segurança dadas pelo órgão, desde o início do colapso, para a população não transitar no local, continuam.

A mina 18, localizada no bairro do Mutange, em Maceió, sofreu rompimento, no último dia 10, às 13h15.

A coordenação do Laboratório de Aquacultura e Ecologia Aquática (Laqua) informou, na segunda (18), que não houve alteração na qualidade da água da Lagoa Mundaú após o rompimento da mina. A morte do sururu também não teria relação com o problema.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas