Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
X
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

DMTT diz que Caso Braskem dificultou mobilidade, mas Município investe para mitigar danos

Ele contou que ações, como aumento da frota de ônibus, influenciam positivamente o deslocamento urbano


				
					DMTT diz que Caso Braskem dificultou mobilidade, mas Município investe para mitigar danos
Diretor-presidente do Departamento Municipal de Transportes e Trânsito (DMTT), André Costa, participou do Gazeta Summit Mobilidade. Felipe Sóstenes

O diretor-presidente do Departamento Municipal de Transportes e Trânsito (DMTT), André Costa, salientou, durante o Gazeta Summit Mobilidade, na tarde desta segunda-feira (17), que Maceió vive uma crise de mobilidade urbana desde 2019, quando o caso Pinheiro se iniciou.

Desde então, cerca de 60 mil pessoas tiveram de se deslocar de cinco bairros (Pinheiro, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e Farol), o que ocasionou um gargalo no deslocamento urbano.

Leia também

“Esses desafios representam o momento que a cidade vive, em decorrência desse crime socioambiental, que foi praticado aqui em Maceió. E acho que ninguém tem dúvidas de que a gente vive uma crise de mobilidade urbana, que foi acentuada por esses fatores, um deles sendo a questão do afundamento dos bairros, que tivemos de remanejar ou extinguir linhas de ônibus, VLT interrompido e deslocamento forçado de 60 mil pessoas, além de 100 mil pessoas que foram afetadas por essas linhas remanejadas”, analisou

No painel ‘Região Metropolitana - mobilidade nas cidades do futuro’, Costa também afirmou que a capital teve a maior evolução na frota de veículos do Nordeste, nos últimos sete anos.

Segundo ele, uma das atitudes para sanar esse problema foi a melhoria no transporte público, com a renovação da frota de ônibus e incentivos de gratuidade.

“São 97 ônibus entregues desde 2021, com 89 sendo de “Geladões”. Em dois anos, queremos ter 60% da frota climatizada. 36% dos embarques em Maceió são gratuitos, por meio de políticas públicas”, disse.

“No primeiro mês de gestão do prefeito JHC, a tarifa de ônibus caiu de R$ 3,65 para R$ 3,35 e, agora, está em R$ 3,49, que ainda é a mais baixa do País. Temos ainda incentivos, como o passe livre estudantil, o programa Domingo É Livre, para que todos possam utilizar o que a cidade tem de melhor. Gratuitamente, a população de toda a cidade pode se deslocar, por exemplo, para o litoral”, complementou.

Entre outras medidas, estão a expansão das faixas exclusivas, o corredor de ônibus BRT, a expansão da malha cicloviária e abertura de novas vias, além de semáforos inteligentes, ampliação do sistema de videomonitoramento e a presença de agentes do órgão nos horários de pico da manhã e noite, para dar fluidez ao transporte coletivo.

Estiveram no painel o prefeito de Marechal Deodoro, Cláudio Filho (Cacau), o prefeito de Pilar, Renato Filho, a deputada estadual Gabriela Gonçalves e o diretor do Detran/AL, Marco Fireman. A mediação foi feita por Rayne Ferretti, da ONU Habitat Brasil.

CONFIRA AS FOTOS DO GAZETA SUMMIT.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas

X