Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
HOME > blogs > EDIVALDO JÚNIOR
Imagem ilustrativa da imagem Um avanço na pecuária de AL: a antecipação na vacinação da aftosa

BLOG DO
Edivaldo Júnior

Um avanço na pecuária de AL: a antecipação na vacinação da aftosa


				
					Um avanço na pecuária de AL: a antecipação na vacinação da aftosa
Ministério da Agricutlura autorizou a vacinação contra a aftosa em Alagoas. Reprodução

É um avanço. Literalmente. E tudo aconteceu rapidamente. Há um mês, a pecuária de Alagoas estava sob o risco iminente de sofrer isolamento em função da volta das barreiras sanitárias.

A antecipação da vacinação contra a febre aftosa, autorizada pelo Ministério da Agricultura, a partir desta segunda-feira (5/04), é parte do esforço para garantir que Alagoas avance, junto com os demais Estados do bloco III (Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará), para zona livre de aftosa sem vacinação.

Na prática, os demais blocos do Brasil mudam de classificação a partir de maio deste ano para zona livre sem vacinação. Se o bloco III não for junto, ficará isolado, impedido de comercializar e transportar animais para Estados dos outros blocos.

O esforço para conseguir a antecipação da vacinação, explica o presidente da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), Marco Albuquerque, é conjunto: “todo o governo, liderado pelo governador Paulo Dantas, e o setor produtivo trabalham em tempo integral para que Alagoas avance. Várias medidas estão sendo adotadas, a exemplo da reestruturação da Adeal e agora esperamos mais uma vez contar com a efetiva participação dos criadores na campanha”, disse.

De acordo com Marcos, o governador Paulo Dantas está empenhado pessoalmente para atender as exigências do Ministério da Agricultura: “não tem dia, nem hora. Fizemos reuniões à noite, no final de semana, mas o esforço está sendo recompensado. O governador assumiu todos os compromissos junto ao governo federal, está dando todas as condições para reestruturar a Adeal, inclusive com a realização de concurso. Desta forma, acredito que vamos conseguir evoluir para a zona livre da aftosa sem vacinação”, aponta.

A expectativa da Adeal é conseguir até 100% da vacinação de todo o rebanho de bovinos e bubalinos de Alagoas, estimado em mais de 1,2 milhão de cabeças.


				
					Um avanço na pecuária de AL: a antecipação na vacinação da aftosa
Marco Albuquerque, presidente da Adeal, acredita que Alagoas vai avançar na classificação da aftosa. Edivaldo Júnior

Versão oficial

Veja nota da assessoria

Vacinação contra a febre aftosa é antecipada para abril

A Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) antecipou para este mês de abril a primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa de bovinos e bubalinos, seguindo determinação do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). A vacinação deverá ser concluída até o próximo dia 30, sem perspectiva de prorrogação. Já a declaração deve ser feita pelo criador na Adeal, até o dia 15 de maio.

A decisão, que atende a um pleito do Governo de Alagoas e das entidades que representam o setor produtivo do estado, possibilita que Alagoas possa avançar junto com os demais estados que já receberam a autorização do Mapa para migrar para a zona livre da febre aftosa sem vacinação em 2025, a exemplo de Bahia, Sergipe, Maranhão e Piauí. A medida também evita que Alagoas venha a ser penalizada com barreiras sanitárias com estes e outros estados, possibilitando a manutenção da livre circulação de animais.

Com a antecipação da primeira etapa da vacinação, a Adeal reforça que as lojas de revenda de produtos agropecuários cadastradas contam com estoque suficiente de imunizantes para atender à demanda dos criadores em todo o estado.

Diante da urgência, a Adeal orienta o criador a fazer a declaração o quanto antes pela internet, no site da Adeal ou nos Escritórios de Atendimento do Criador (EAC), além das Unidades Locais de Sanidade Animal e Vegetal (ULSAV). O prazo é até 15 de maio.

“É muito importante que o criador alagoano, mais uma vez, faça sua parte neste processo, vacinando os animais e declarando na Adeal. É mais um esforço que estamos desempenhando para a conquista do status sanitário de zona livre da febre aftosa sem vacinação”, declarou Marco Albuquerque, presidente da Adeal.

A secretária de Agricultura e Pecuária, Aline Rodrigues, lembra que, nos últimos anos, o estado vem obtendo um dos melhores índices de cobertura vacinal do Nordeste. E isso só está sendo possível graças a uma atuação forte do Governo de Alagoas, que tem diálogo aberto com o setor produtivo.

"Esse é um esforço conjunto da Seagri, da Adeal e de todos os produtores para chegarmos à zona livre da aftosa sem vacinação, seguindo as estratégias pactuadas com o Ministério da Agricultura. A conquista do novo status sanitário vai impactar diretamente no fortalecimento da cadeia produtiva e, sobretudo, nas relações comerciais do setor, uma vez que a agropecuária alagoana é muito importante para o crescimento do nosso PIB", acrescentou a secretária.

A antecipação da vacinação atende às normas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura e Pecuária, revistas no Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE PNEFA) para ser executado em um período de dez anos, iniciado em 2017 e previsto para ser encerrado em 2026.

O PE PNEFA tem como objetivo principal criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa e ampliar as zonas livres de febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional e gerando o máximo de benefícios aos atores envolvidos e à sociedade brasileira.