Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > ALAGOAS

Servidores e estudantes da Ufal fecham entrada do Campus Maceió

Docentes devem analisar nova proposta do governo federal até esta quarta-feira (22)


				
					Servidores e estudantes da Ufal fecham entrada do Campus Maceió
Protesto tem o objetivo de pressionar o governo federal a fechar acordo com as categorias da educação federal. Cortesia

Em greve há mais de 2 meses, servidores e estudantes da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) realizaram, na manhã desta terça-feira (21), em frente ao Campus A. C. Simões, em Maceió, um ato público ao fechar o portão principal da universidade.

O protesto tem o objetivo de pressionar o governo federal a fechar acordo com as categorias da educação federal em greve em mais de 40 instituições de ensino.

Leia também

A manifestação unificada ocorre em todos os estados, para reivindicar as demais pautas, que vão além do reajuste salarial dos docentes, as pautas dos servidores do Ifal e Ufal, e mais orçamentos para a universidade. Os servidores estão em greve há 61 dias.

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de Alagoas (Adufal) convocou a categoria para participar das próximas assembleias setoriais que serão realizadas nos campi Sertão (Delmiro Gouveia), Arapiraca e A. C. Simões (Maceió), entre os dias 20 e 22 de maio.

Os servidores devem analisar a nova proposta feita pelo governo federal, no dia 15 de maio, que altera a carreira, reduzindo-a dez níveis, sendo o primeiro interstício de 3 anos e os demais de 2 anos, para avaliação funcional e progressão.

“Ao fazer isto, a proposta incorporou parcialmente a crítica de que o piso remuneratório inicial da carreira é baixíssimo e nesse novo nível inicial incide o maior percentual de majoração. Em seguida, altera os percentuais de variação entre os níveis da Classe de Adjunto (C), que sobem, e os da Classe de Associado (D), onde há uma redistribuição de valores, com redução no percentual entre Adjunto 4 e Associado 1 e ampliação dos percentuais seguintes (dentro da Classe dos Associados), sem alteração para ascensão à Classe Titular. Ao final, há uma redução da dispersão entre os níveis inicial e final da Carreira, dos atuais 2,13 vezes para 1,91 vezes”, afirma nota da Adufal.


				
					Servidores e estudantes da Ufal fecham entrada do Campus Maceió
Protesto tem o objetivo de pressionar o governo federal a fechar acordo com as categorias da educação federal. Cortesia

A nova proposta do governo federal consiste em:

• Reajuste de 9% para janeiro de 2025 e 3,5% para maio de 2026 – manutenção da ausência de reajuste para 2024;

• Achatamento dos níveis da tabela, reduzindo de 13 para 10, com step de 6% no nível inicial;

• Os padrões C (Adjunto) 2 a 4 e D (Associado) 2 a 4 passariam de 4% para 4,5%, em 2025, e para 5% em 2026;

• O padrão C1 passa de 5,5% para 6%;

• O padrão D1 passaria de 25% para 23,5% em 2025, e para 22,5% em 2026;

• Os docentes do EBTT ficariam dispensados do controle eletrônico de frequência, conforme norma prevista pelo Decreto 1590/1995;

• Debate sobre a revogação da Portaria 983/2020 passaria para diálogo entre o sindicato e o Ministério da Educação (MEC), nas Mesas Setoriais já existentes com a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) e com a Secretaria de Educação Superior (Sesu).

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas