Podcast

Podcast gazeta

Prefeito JHC sanciona lei que amplia validade de atestado do transtorno do espectro autista

O atestado tem validade junto à administração pública municipal, bem como para qualquer empreendimento privado situado no município

ÚLTIMOS EPISÓDIOS

17min
PODCAST GAZETA | 29 de Julho de 2022 às 10:47

Baixa adesão da vacinação em crianças preocupa especialistas

Com a diminuição na faixa etária do público infantil incluído na vacinação contra Covid-19, um alerta preocupa pediatras e profissionais da saúde: a redução da cobertura vacinal nas crianças nos últimos anos.

8min
PODCAST GAZETA | 29 de Julho de 2022 às 10:44

Preço dos imóveis em Maceió tem a 4ª maior alta do Brasil

O preço dos imóveis residenciais comercializados em Maceió aumentou 14,56% nos últimos doze meses, de acordo com o Índice FipeZap, que monitora anúncios de venda em 50 cidades brasileiras. A alta aferida na capital alagoana foi a quarta maior do Brasil. No geral, o índice para o período foi de 6,1%. Somente em junho o aumento no preço dos imóveis residenciais em Maceió foi de 0,71%, que está acima do índice nacional que avançou 0,47% no mês. Apesar do encarecimento, em nível nacional, os imóveis não subiram tanto quanto a inflação do período

16min
PODCAST GAZETA | 29 de Julho de 2022 às 10:36

Mulheres negras desistem de ter filhos por medo do racismo e proteção à saúde mental

O medo de que os futuros filhos sejam vítimas de racismo tem feito com que mulheres negras se questionem se vale a pena ceder ao desejo de ser mãe, ou se é melhor não colocar outra criança negra em um mundo racista. Essa decisão também serve como proteção à própria saúde mental. Isso ocorre pois o racismo é motor de sofrimento psíquico. O sofrimento causado pelo preconceito racial faz com que mulheres negras criem mecanismos de proteção à saúde mental. A decisão de não ter filhos é um deles, uma vez que não precisariam se preocupar com as violências que viriam a sofrer.

13min
PODCAST GAZETA | 28 de Julho de 2022 às 10:30

Juizado da Mulher expediu mais de 700 medidas protetivas de janeiro a junho de 2022

A Justiça de Alagoas, por meio do Juizado da Mulher da Capital, expediu 711 medidas protetivas de janeiro a junho de 2022. No mesmo período, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), Alagoas teve 15 feminicídios, o estágio mais avançado da violência contra a mulher. As medidas protetivas estão previstas na Lei nº 11.340, de 07 de agosto de 2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha. A legislação traz um título específico sobre essa ferramenta que tem como objetivo proteger a mulher de riscos iminentes advindos do seu agressor.