Pulseira inteligente detecta infecção por Covid-19 dois dias antes dos sintomas surgirem, aponta estudo

Pesquisa mostra que um gadget voltada para o monitoramento dos períodos férteis consegue confirmar o diagnóstico a partir da medição de cinco parâmetros fisiológicos

Desenvolvida para rastrear em tempo real o período fértil de mulheres, a pulseira Ava conseguiu detectar os primeiros indícios fisiológicos da Covid-19 em pessoas infectadas dois dias antes do surgimento dos sintomas, de acordo com estudo publicado neste mês na revista científica "BMJ Open".

O trabalho reuniu cientistas em um consórcio internacional, com participantes da Alemanha, da Holanda e do Canadá, sob liderança de pesquisadores suíços. Os pesquisadores analisaram dados de mais de 1,1 mil pessoas no ano de 2020.

Dentre elas, 127 tiveram casos de Covid-19 confirmados e 68% das pessoas infectadas tiveram mudanças em parâmetros corporais percebidos pelo algoritmo criado pelos cientistas. Os cálculos matemáticos interpretaram dados gerados pela pulseira dois dias antes dos sintomas surgirem.

Disponível comercialmente por US$ 279 (cerca de R$ 1,5 mil), a Ava possui três sensores que medem cinco parâmetros fisiológicos: frequência respiratória, frequência cardíaca, variabilidade da frequência cardíaca, temperatura da pele do punho e perfusão da pele (passagem de líquido através do sistema circulatório ou linfático).

Os dados cruciais para a identificação da Covid-19 foram a frequência cardíaca e respiratória, que apresentaram mudanças expressivas. Ao surgimento dos sintomas, foi constatada uma respiração a mais por minuto durante a noite, aceleração cardíaca de 0.87 batidas por minuto e aumento da temperatura do pulso em 0,18°C.

Usada apenas durante o sono, o dispositivo coleta dados a cada dez segundos e requer pelo menos quatro horas de sono relativamente ininterrupto. Para obter as informações, os participantes sincronizaram suas pulseiras com um aplicativo para celular ao acordar, transferindo dados do dispositivo para o sistema da Ava.

A Ava é o primeiro acessório weareble voltado para a medição da fertilidade que possui o aval da Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos Estados Unidos. Atualmente, está em fase de teste na Holanda com 20 mil pessoas participantes. Os resultados da eficácia do acessório como estratégia de saúde pública no combate à pandemia deve sair ainda este ano.