JHC derrota os Calheiros e Rui Palmeira e é eleito o novo prefeito de Maceió

Maceioenses foram às urnas e disseram não ao continuísmo representando por Alfredo Gaspar

A força das máquinas do governo de Alagoas e da prefeitura não foi suficiente para impedir o sentimento de mudança que o maceioense pedia no comando da Prefeitura da Capital. Com 58,64% dos votos, JHC (PSB) derrotou os Calheiros (senador Renan e o governador Renan Filho) e o prefeito de Maceió, Rui Palmeira neste domingo (29), sendo eleito como novo gestor a partir de 2021. O vice eleito é Ronaldo Lessa (PDT). Alfredo ficou em segundo lugar com 41,36% dos votos. 
Ao total, foram 222.147 votos para JHC contra 156.704 votos para Alfredo Gaspar. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 27,81% dos maceioenses não compareceram às urnas neste domingo. Além disso, foram 2,97% (12.706) votos brancos e 8,44% (36.092) votos nulos.
Após a conclusão da apuração, JHC postou uma mensagem na rede social Instagram, agradecendo o empenho de todos os maceioenses que acreditaram no projeto da mudança liderado por ele. 
"Agradeço a cada maceioense que saiu de casa para exercer o seu direito e mudar Maceió para melhor. Foram 222.147 votos à favor da MUDANÇA! A partir do dia 1º de janeiro de 2021, vamos iniciar a gestão da mudança, enxugando a máquina pública, investindo na saúde, na mobilidade urbana, na educação e priorizando o bem-estar do cidadão. Contem comigo para mudar a realidade da nossa cidade. Juntos, vamos fazer de Maceió uma das capitais mais fortes do país", disse o prefeito eleito. 

Ao lado de apoiadores e familiares, JHC celebrou a vitória nas urnas - Foto: FOTO: Ailton Cruz

O resultado confirma as projeções das pesquisas. Na última sexta-feira (27), a pesquisa Ibope, divulgada pela TV Gazeta, apontava JHC com 48% das intenções de voto contra 36% de Gaspar. Já o Paraná Pesquisa, encomendada pelo Diário do Poder e pela Gazeta de Alagoas, e divulgada na quinta-feira (26), apontava com 44% da intenção de voto, contra 38,4%. 
JHC tem 33 anos, é formado em Direito, foi o deputado federal por Alagoas mais votado nas eleições de 2018 e o mais votado do Brasil em termos proporcionais.  Durante a campanha, JHC foi escolhido pelos eleitores maceioenses como o candidato da mudança. Entre as propostas, ele apresentou o "Banco da Mulher Empreendedora", que visa fomentar a atividade econômica e emancipação das mulheres empreendedoras. 
Para a saúde, JHC apresentou a criação do "Corujão da Saúde", com o objetivo de zerar as filas para exames, consultas e cirurgias. Para a educação, a proposta é a ampliação do número de vagas nas creches, a valorização dos professores, além do programa 'Volta à Escola', para diminuir a evasão escolar em parceria com os Conselhos Tutelares.  A valorização da Guarda Municipal e o incentivo ao turismo local, com investimento em capacitação, valorização dos mercados e limpeza de praias também fazem parte do seu plano de governo. 
HISTÓRICO DE DERROTAS DOS CALHEIROS
Mais uma vez, Maceió disse não a uma candidatura apoiada pelos Calheiros. O rosário de derrotas dos Calheiros em busca da Prefeitura de Maceió não é de hoje; arrasta-se desde 1988, quando Renan Calheiros perdeu para Guilherme Palmeira. Em 1992, Renan apoiou Téo Vilela e nem foi para o 2º turno: deu Ronaldo Lessa. Em 1996, mais uma derrota. Renan apoiou Albérico Cordeiro e, novamente, nem foi para o 2º turno: Kátia Born foi eleita. Em 2000, Renan apoiou Régis Cavalcante, mas Kátia Born acabou sendo reeleita. 
Em 2004, Renan apoiou José Wanderley e nem chegou ao 2º turno. Os maceioenses escolheram Cícero Almeida. Em 2008, nova derrota: Renan apoiou Solange Jurema, mas Cícero Almeida foi reeleito. Em 2012, Renan apoiou Lessa, que teve a candidatura impugnada a 4 dias da eleição e acabou dando Rui Palmeira. Em 2016, Renan apoiou Cícero Almeida e Rui foi reeleito. Agora, em 2020, Renan Calheiros lançou Alfredo Gaspar e Maceió, mais uma vez, disse não a ele.