Em áudio, homem liga cadastro de unidades habitacionais a candidato a deputado federal

Os moradores denunciam que os cadastramentos estão sendo realizados para pessoas que não moram na região

Um áudio enviado por moradores que vivem às margens da Lagoa Mundaú à Defensoria Pública da União em Alagoas mostra um homem se passando por integrante da Secretaria de Habitação de Maceió para realizar o cadastramento de pessoas para unidades habitacionais. Na gravação, ele liga a tentativa de cadastro a um candidato a deputado federal. Os moradores denunciam que os cadastramentos estão sendo realizados para pessoas que não moram na região. Por causa disso, a Defensoria Pública recomendou que o município suspenda os novos cadastros até a realização das eleições.

Na decisão, a Defensoria afirma que recebeu, por meio de lideranças da Lagoa do Mundaú, áudios de um aplicativo de mensagens em que um terceiro, "sob a alegação de atuar perante a Secretaria de Habitação, estaria incentivando o cadastramento de pessoas vulneráveis para fins de eventual recebimento de unidades residenciais, seja no Vilas do Mundaú ou no Benedito Bentes, desde que houvesse a votação em determinado candidato a mandato eletivo na eleição de 2022."

No áudio, ele diz que está fazendo o mapeamento dos apartamentos dessas habitações. O homem também menciona um deputado e diz que ele está dando suporte.

"Estamos fazendo mapeamento dos apartamentos na parte da habitação para os necessitados. Não posso cadastrar ninguém agora porque já mandei a lista esses apartamentos que sobraram. A parte da feira já vai vim mapear pra eu chamar todo mundo e dizer onde vai ser e a quantidade de pessoas que vai ser agregada, provavelmente já tem a base ainda esta semana. Então é bom que entrem em contato comigo quem são cadastrados nas feiras. Porque estou pensando em fazer os dois lados, oiticica dois e oiticica um. Nesse caso vão dar 200 barracas", diz o homem áudio. A gravação foi divulgada pela TV gazeta.

Em entrevista à TV Gazeta, alguns moradores que realizaram protesto nesta sexta-feira (23), disseram que novos cadastros estão sendo feitos com pessoas que não são da região da Lagoa Mundaú.

"O povo fez cadastro, desocupou seus barracos e não sai nunca no sorteio. Quando chega aqui no canteiro de obra para olhar se tá faltando alguma pendência o cadastro do povo sumiu", disse uma moradora.

Outra mulher mostrou à TV Gazeta papéis com relação de nomes do que seria, supostamente, cadastro de pessoas que não moram às margens da Lagoa.

"A gente pegou da mão da mulher fazendo o cadastro do pessoal. Isso aqui não mora na comunidade, é de fora. tem o nome das pessoas, cidade, CPF para fazer cadastro lá dentro", afirma.

O documento da Defensoria Pública frisa que a situação relatada acima foi reconhecida pelo Secretário de Habitação, Carlos Jorge, e que um Boletim de Ocorrência foi registrado na Polícia Civil de Alagoas.

"Até o dia 3 de outubro de 2022, suspenda os atos administrativos de cadastramento de pessoas no âmbito do Programa Minha Casa Verde Amarela, devendo se abster de enviar, durante esse período eleitoral, o envio dos documentos necessários (CadÚnico e Dossiê Familiar) à Caixa Econômica Federal, bem como deve publicizar a suspensão dos serviços através dos canais oficiais", diz trecho da decisão.

A DPU também recomenda que a Caixa Econômica Federal suspenda, até o dia 03 de outubro de 2022, o recebimento dos documentos necessários para aprovação de interessados nos cadastros habitacionais do Programa Minha Casa Verde Amarela em Maceió.

*Com TV Gazeta

Moradores denunciam nova formação de cadastro com pessoas do interior e que não são da região - Foto: Cortesia

Um protesto de moradores fechou parte da Avenida Rui Palmeira, no bairro do Vergel do Lago, deixando um clima tenso na orla lagunar. O motivo seria a inclusão de pessoas que não residem na região, no cadastro de candidatos das unidades habitacionais daquela área. Eles denunciam, ainda, um suposto interesse eleitoral na inclusão desses nomes na lista.