Deputado acusa Sesau de produzir documento falso sobre nomeação de vereador para hospital

Caso envolve trabalho de Jamyl Cordeiro, que seria lotado no Hospital Regional do Sertão

Numa sessão rápida da Assembleia Legislativa (ALE), que nem ordem do dia teve, nesta quarta-feira (22), o deputado Davi Maia (DEM) acusou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) de produzir uma declaração falsa atestando que o vereador Jamyl Cordeiro, de Delmiro Gouveia, não fazia parte da chamada ‘folha fantasma’ do órgão. O documento, segundo o parlamentar, foi entregue ao Poder Legislativo daquele município.

A Câmara de Delmiro abriu um processo de investigação para apurar a conduta do edil, após denúncia formulada pelo sertanejo Tony Cloves.

Em discurso na tribuna da Casa, Maia afirmou que, após receber o papel, assinado pelo gerente-executivo de Valorização à Pessoa da Sesau, a assessoria jurídica da Câmara de Vereadores de Delmiro foi induzida ao erro, ao isentá-lo da culpa.

Na declaração, a pasta afirmava que não constava nos arquivos a nomeação de Jamyl, consequentemente nenhum pagamento de salário em nome dele no Hospital Regional do Sertão, onde o vereador estaria lotado.

No fim do mês passado, o deputado fez denúncias de que a Sesau mantém cabides de emprego. Segundo Davi Maia, Jamyl Cordeiro seria um dos beneficiados, recebendo salário da secretaria. Nesta quarta-feira, ele disse que tem em mãos a relação do DataSUS, deixando claro que o vereador recebeu, no dia 7 de julho, por ‘estar trabalhando’ no Hospital do Sertão, R$ 5 mil de remuneração.

“Conseguimos verificar a folha salarial, que está exposta no site da Sesau. Ela mostra todos os pagamentos que o vereador por Delmiro Gouveia recebeu este ano, totalizando 45 mil do Fundo Estadual de Saúde”, destacou.

De acordo com o parlamentar, as comprovações no Portal da Transparência o levam a atestar que a declaração apresentada pela pasta à Câmara daquele município é falsa. “Isto se configura falso testemunho, prevaricação e gera, no mínimo, uma improbidade administrativa. Farei uma nova denúncia neste sentido aos órgãos de controle e comunicarei à Câmara de Delmiro o que conseguimos descobrir, já que os vereadores foram induzidos ao erro”, completou.

Maia já fez uma série de denúncias envolvendo a gestão de Alexandre Ayres à frente da Saúde de Alagoas. Ele fala em uso político da pasta em benefício do gestor, existência de supersalários aos aliados do secretário, plantões fantasmas, folhas salariais paralelas e cabides de emprego. Os relatos foram enviados aos Ministérios Públicos, Tribunal de Contas e às comissões de Saúde e de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa.

Em aparte, o deputado Silvio Camelo (PV), líder do governo no Parlamento, disse que, também, vai buscar esclarecimentos acerca da acusação feita pelo colega sobre produção de documento falso e checar a situação envolvendo o vereador Jamyl.

Como providência, a Sesau anunciou investigação interna para checar o que foi dito pelo deputado e instalação de ponto eletrônico com reconhecimento facial.

Confira a nota da Sesau sobre o caso:

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) esclarece que Jamil Cordeiro de Araújo Filho é, atualmente, contratado como assessor técnico do Hospital Regional Antenor Serpa, situado no município de Delmiro Gouveia. Informa, ainda, que ele ocupou o cargo em comissão de Supervisor de Unidade Hospitalar do Antenor Serpa no período de 04/11/2016 a 16/02/2017 e de 02/04/2019 a 04/04/2020.

Assim, conforme documento fornecido pela Gerência de Valorização à Pessoa da Sesau, não há nenhuma nomeação em nome de Jamil Cordeiro de Araújo Filho para a direção geral do Hospital Regional do Alto Sertão (HRAS), localizado no respectivo município, como também não consta nenhum pagamento efetuado em nome dele na unidade hospitalar.

A Sesau reforça, ainda, que Jamil Cordeiro de Araújo Filho está contribuindo na organização do funcionamento do Hospital Regional do Alto Sertão, que foi inaugurado antes do previsto com o propósito de enfrentamento da pandemia da Covid-19.