Covas tem piora e é diagnosticado com líquido nos pulmões e no abdômen

Prefeito de São Paulo está internado para tratar câncer

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), apresentou uma piora no quadro de saúde e foi diagnosticado com líquido nos pulmões e no abdômen. Uma suplementação nutricional foi iniciada para que ele esteja mais preparado para o novo tratamento.

A informação foi prestada na tarde desta quarta-feira (21) em coletiva de imprensa da equipe médica que assiste o prefeito.

Covas enfrenta um câncer na região da cárdia, localizada na transição entre o estômago e o esôfago, com metástase em outras áreas do corpo. Ele foi internado na última quinta-feira (15) para a realização de exames de controle, que descobriram novos focos de tumores nos ossos e no fígado.

De acordo com os médicos, o prefeito poderia receber alta e continuar com um novo tratamento oncológico, mas na sexta-feira (16) foi constatada a presença de líquido no abdômen e nos dois pulmões, desencadeada pela presença dos nódulos no fígado. Um tratamento com drenos foi iniciado no dia seguinte.

"O prefeito veio fazer uma avaliação rotineira e os exames de imagem mostraram avanço da doença, tanto nos ossos, quanto no fígado. Isso fez com que os oncologistas adotassem uma nova proposta terapêutica", disse o médico David Uip.

"Havia previsão de alta para o início da semana, mas houve este fato novo - a inflamação do tumor causou acúmulo de líquido no abdômen e nos pulmões, entre as pleuras" continuou.

Os médicos explicaram que todos possuem líquido pleural, uma composição de água e proteínas, e que o acúmulo dele em pacientes que passam pelo tratamento oncológico é rotineiro.

O pequeno volume de líquido no abdômen e nas pleuras causa incômodo na função respiratória, mas segundo a equipe, a situação do prefeito está bem controlada, com condição clínica "bem confortável", sendo a única dificuldade a previsão de quando o líquido será totalmente drenado para que ele receba alta hospitalar.

Uip disse que alguns pacientes podem ser liberados com drenos, mas a equipe optou por interná-lo para que se adeque ao novo tratamento contra a metástase nos ossos e no fígado.

Covas também começou a receber alimentação parenteral (por meio de uma sonda) durante as madrugadas para auxiliar no ganho de peso. Durante o dia, ele se alimenta normalmente. De acordo com a equipe médica, o prefeito emagreceu um pouco, mas a complementação nutricional visa especialmente prepará-lo para o novo tratamento.

Ainda de acordo com a equipe médica, Bruno Covas responde bem ao tratamento e permanecerá despachando do hospital.