Surfista morto a tiros na Levada já tinha sido vítima de tentativa de homicídio em 2017

Wellington Reis, de 20 anos, foi encontrado morto com marcas de tiros na cabeça, no último sábado, 22; o caso está sendo investigado

O surfista Wellington Reis, de 20 anos, morto a tiros no último sábado (22), no bairro Levada, em Maceió, já tinha sido vítima de uma tentativa de homicídio no ano de 2017.

À época, o jovem - que ainda era menor de idade - foi encontrado amarrado, com marcas de tiros em uma das pernas e, também, com o dedo amputado. O crime aconteceu no Pontal da Barra, e Wellington foi resgatado por policiais do Pelotão Aquático, do Batalhão Ambiental (BPA).

Para a polícia, o jovem relatou que estava jogando bola, quando foi abordado por três pessoas armadas, que teriam o colocado em uma canoa. Em seguida, ele foi torturado pelos criminosos e deixado no local para morrer.

Morte

O surfista foi encontrado morto com marcas de tiros na cabeça, no último sábado, 22, na Levada. Apesar do fato, não há, até o momento, informações do que teria motivado o crime. O jovem foi a óbito antes mesmo dos primeiros socorros.

Em 2015, quando ainda tinha 13 anos, Wellington Reis foi campeão Brasileiro de Surfe da categoria sub-14, tendo, assim, a oportunidade de participar de torneios internacionais, além de conquistar outras competições nacionais.

No entanto, sem apoio para continuar no esporte, passou a viver em situação de rua.

O caso é investigado pelas autoridades policiais de Alagoas. Segundo o delegado Bruno Emílio, responsável pelas investigações, os familiares de Wellington Reis iriam prestar depoimento nesta terça-feira (25), mas não compareceram.