Polícia descarta motivação política para atentado ocorrido em Paulo Jacinto

Investigações apontam que tratou-se de crime de vingança; dois suspeitos morreram, um está preso e outro foragido

Dois suspeitos do atentado que vitimou a médica veterinária e pré-candidata a deputada federal Lérida Lôbo e o seu esposo, José Adilson, no município de Paulo Jacinto, morreram durante troca de tiros com a polícia e um terceiro, que teria alugado o carro utilizado no crime, foi preso, nesta sexta-feira (5), conforme informações repassadas pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) em coletiva. A polícia descartou motivação política para o atentado.

Segundo o delegado Thales Araújo, designado para investigar o caso, tudo leva a crer que tratou-se de um crime de vingança, tendo em vista que o suspeitos que morreram eram irmãos e tinham vindo recentemente do Rio de Janeiro. Eles tiveram o pai assassinado há cinco meses. Um terceiro irmão está foragido e a pessoa presa foi a responsável por alugar o veículo. Eles suspeitavam que o casal alvo do atentado tinha envolvimento na morte do pai, que tinha tido um atrito com Adilson.

"Trata-se de crime de ódio, de vingança, uma vez que eles suspeitavam que o casal tinha participação no homicídio contra o pai deles, o que não foi comprovado. Eles já haviam tomado nota da rotina das vítimas e planejaram o crime”, destacou o delegado Thales.

Duas armas que estavam com os suspeitos mortos foram apreendidas. O carro utilizado no crime também foi recuperado. O suspeito preso vai ser indiciado por homicídio qualificado e tentativa de homicídio qualificado. “Testemunhas conseguiram anotar a placa do veículo utilizado, o que fez com que chegássemos até ele. Fizemos um trabalho de monitoramento de câmeras, que flagraram o movimento dos suspeitos, entrando e saindo da cidade”, falou.

“Desde ontem, quando houve a informação de que tinha havido um crime em Paulo Jacinto, imediatamente nos deslocamos até o local. Foi averiguado que o carro usado estava em Palmeira dos Índios. Conseguimos identificar os executores e montar uma operação para que fossem presos e apreendidos os materiais usados no crime, que tem característica de execução planejada", pontuou o delegado.

Ainda segundo ele, o inquérito do crime que vitimou o pai dos suspeitos não chegou a ser concluído, pois não houve elementos de prova que confirmassem a hipótese. “A hipótese é que os irmãos resolveram se vingar baseado em boatos que chegavam até eles", destacou Thales.