Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > POLÍCIA

PC diz que mulher atraiu namorado para local onde ele foi carbonizado

O crime ocorreu no final de janeiro deste ano, quando a vítima, que tinha 23 anos, foi morta a tiros e, em seguida, teve o corpo carbonizado

A Polícia Civil de Alagoas aponta que a mulher presa nesta quinta-feira (29), suspeita de participar da morte do namorado Marcos André de Lima Santos, atraiu o jovem para o local onde ele foi assassinado, na AL-145, em Água Branca, no Sertão de Alagoas.

De acordo com o delegado Thales Araújo, a mulher de 28 anos é coautora do crime, porque atraiu o então namorado Marcos André para uma estrada em Água Branca, pedindo ajuda para ele, alegando que o carro dela tinha quebrado.

Leia também

O crime ocorreu no dia 27 de janeiro deste ano, quando a vítima, que tinha 23 anos, foi morta a tiros e, em seguida, teve o corpo carbonizado.

"A vítima foi morta após ser emboscada na estrada e ter o corpo carbonizado. Nessa situação, ele tinha sido atraído até o local pela sua então namorada, que havia tido um problema no veículo, e pediu ajuda. Enquanto ele estava lá, nessa situação, o ex-namorado da companheira da vítima chegou e foi onde houve a execução e a carbonização do carro e do corpo", relata o delegado Thales Araújo.

Segundo ele, as informações colhidas pela investigação policial levam a crer que o crime foi planejado, para uma emboscada, que teve a participação da mulher, então namorada da vítima, e ex-namorada do executor do homicídio.

O ex-namorado dela, de 39 anos, foi preso nessa quarta-feira (28), na cidade de Ribeiro do Pombal, na Bahia. Já a suspeita foi presa nesta quinta-feira em Paulo Afonso, também no estado baiano.

Agora a Polícia Civil de Alagoas afirma que trabalha para apreender aparelhos telefônicos e outros materiais que possam fornecer mais informações, especialmente sobre a motivação do crime e o por quê dela participar da morte do então companheiro. "Faz parte do trabalho focar em quem executou, planejou e auxiliou", informou a autoridade policial.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas