Imagem
Menu lateral
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > POLÍCIA

Juíza plantonista detalha por que negou prisão de motorista

O pedido policial havia recebido parecer favorável do Ministério Público de São Paulo (MPSP).

A vítima do acidente foi o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana, 52, que deixou três filhos.
A vítima do acidente foi o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana, 52, que deixou três filhos. | Foto: Reprodução

A juíza plantonista Fernanda Helena Benevides Dias, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), rejeitou na segunda-feira (1º/4) o pedido de prisão temporária contra o empresário Fernando Sastre Filho, de 24 anos, indiciado por bater com um Porsche na traseira de outro veículo e causar a morte de um motorista no Tatuapé, na zona leste da capital paulista, na madrugada anterior.

A vítima do acidente foi o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana, 52, que deixou três filhos. Na decisão, obtida pelo Metrópoles, a juíza reconhece a “gravidade dos fatos”, mas alega que a Polícia Civil não justificou os requisitos legais necessários para que a prisão temporária do condutor do Porsche fosse decretada.

Leia também

Pela legislação brasileira, a prisão temporária é provisória e só pode ser decretada quando a liberdade do suspeito causa riscos para a investigação. Com prazo curto, o período da prisão serve para que a Polícia Civil ou o MPSP consigam provas sobre a ocorrência.

Leia a matéria completa em metropoles.com

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na App Store

Relacionadas