Entregador diz que foi agredido com celular e chutes no elevador

A briga começou porque, segundo a versão do entregador, a mulher se negou a descer para pegar o pedido e a passar o código de entrega

Mais uma confusão envolvendo entregador por aplicativo e cliente ganhou repercussão em Alagoas. Desta vez o caso ocorreu nesta terça-feira (24), no bairro da Jatiúca. Parte da discussão foi registrada em vídeo pelo próprio trabalhador que afirma ter sido agredido pela cliente com um celular no rosto e chutes dentro do elevador do prédio. A briga começou porque, segundo a versão do entregador, a mulher se negou a passar o código do pedido.

O entregador é José Rodrigues, que trabalha na área há três anos. Ele conta que a confusão começou porque a mulher se recusava a descer para buscar o pedido. Em seguida, a discussão se agravou porque a cliente, mesmo resolvendo descer para pegar a comida, negou a passar o código de entrega, solicitado pelo entregador.

"Eu cheguei no endereço da cliente e informei o porteiro que eu não subia no edifício e ele informou que ela não descia. A cliente desceu e simplesmente chegou até a mim e começou a me xingar, a falar que eu sou preguiçoso. Começou a dizer um monte de coisa comigo. Simplesmente pegou o alimento que estava em cima da bag, sem me dar o código nem nada e simplesmente levou o pedido embora. E esse código é obrigatório os clientes entregarem e o entregador é obrigado a pedir esse código e entregar o pedido depois que receber esse código. E isso ia me prejudicar", relata o entregador José Rodrigues, em entrevista à imprensa.

Na sequência, segundo José Rodrigues, ele foi em direção a mulher. "Eu pedi: 'Moça, me devolva o pedido'. Estendi a mão para pegar o pedido e ela simplesmente pegou o celular dela e meteu no meu rosto", afirma o entregador, mostrando ferimento no nariz. Em seguida, ele continua a relatar:

"Ela ia entrar no elevador, eu coloquei a mão e segurei o elevador para ela não subir com o pedido e nisso ela começou a me dar vários chutes dentro do elevador. Começou a me agredir dentro do elevador", conta.

Ele diz que gravou a cena com o celular. "Mas mesmo assim ela não parou de me xingar e me humilhar".

Ainda na tarde desta terça-feira (24), entregadores foram à porta do prédio onde o episódio ocorreu para protestar.

José Rodrigues registrou um Boletim de Ocorrência na Central de Flagrantes e, em seguida, ele irá fazer exame de corpo delito no Instituto Médico Legal (IML).

A Gazetaweb segue com espaço aberto para ouvir a versão da cliente.