Assassino de motorista de Uber confessa que a estrangulou durante oito minutos

Segundo delegado-geral da PC, confissão foi feita por Jackson Vital dos Santos, que foi preso horas depois do crime, em Rio Largo

Um dos suspeitos de matar a motorista Amanda Pereira dos Santos, em Maceió, confessou à Polícia Civil que estrangulou a vítima por oito minutos após ela ter reagido a um assalto cometido por ele e mais um casal. A confissão foi divulgada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Gustavo Xavier, em coletiva à imprensa na noite desta quinta-feira (18).

A confissão foi feita por Jackson Vital dos Santos, que foi preso horas depois do crime, em Rio Largo. Segundo as investigações, ele e o casal Yuri Livramento e Maristela Santos de Souza renderam a vítima, que era motorista por aplicativo, anunciou o assalto e, durante o percurso, Amanda teria reagido, momento em que foi estrangulada e morta com um mata-leão.

Ainda segundo os autos, dela foram roubados o celular, uma quantia em dinheiro, uma chave de roda e um step de carro. O casal se apresentou, na manhã desta quinta-feira (18), na sede do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) do município de Rio Largo, onde foi ouvido pelas autoridades policiais. Dela foram roubados o celular, uma quantia em dinheiro, uma chave de roda e um step de carro.

Segundo o delegado-geral, o trio pegou o transporte por aplicativo por meio da motorista Amanda de forma aleatória e escolheu o percurso de Rio Largo a Marechal Deodoro porque queriam ganhar tempo para o cometimento do assalto. Eles também planejaram que, ao longo do percurso, houvesse local ermo, para anunciar o roubo.

Ao anunciar assalto, conforme os depoimentos de Jackson e Yuri, Amanda tentou reagir, mas o primeiro foi para o banco de trás do carro e a atingiu com um golpe de mata-leão. "Ela tomou a decisão de reagir de todas as formas possíveis", complementou o delegado.

Amanda foi morta na noite de segunda-feira (15) e o corpo foi jogado ainda no bairro Cidade Universitária, parte alta de Maceió. O corpo foi encontrado no dia seguinte. Ainda na terça-feira (16), Jackson foi capturado pela polícia e confessou, contando detalhes do crime. Yuri e Maristela se apresentaram à Polícia Civil nesta quinta-feira (18). Yuri também confessou a participação. Segundo Gustavo Xavier, Maristela utilizou o direito de ficar em silêncio.