Suspeito de fraude ao concurso da PM de AL é preso após determinação da 17ª Vara Criminal

Ele é apenas um dos diversos envolvidos no esquema; venda de gabarito é uma das irregularidades investigadas

A Polícia Civil (PC) prendeu, nessa quarta-feira (15), um dos candidatos suspeitos de fraudar as provas do concurso da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), alvo de um esquema, como venda de gabaritos. A informação foi repassada à imprensa, na manhã desta quinta (16), pelo delegado que investiga o caso, Gustavo Xavier.

Segundo informou o delegado, a prisão, desta vez, foi preventiva após determinação da 17ª Vara Criminal da Capital, sob o argumento de fraude a concurso público, bem como organização criminosa.

O suspeito de cometer tais ilícitos, beneficiando-se com o esquema, já havia sido detido em flagrante, no último dia 10, após comemorar sua aprovação.

"Ontem, prendemos, preventivamente, o suposto fraudador do concurso, em razão de estar comemorando a aprovação de forma desordeira, além de ter desacatado os PMs que o abordaram. Na ocasião, foi lavrado apenas um TCO [Termo Circunstanciado de Ocorrência]", relatou Xavier.

Por enquanto, conforme ressalta o delegado, não se tem mais detalhes acerca do caso, uma vez que as investigações seguem em andamento.

CONCURSO SUSPENSO

A Justiça alagoana suspendeu, ontem, o concurso para o cargo de soldado. O juiz Geraldo Tenório Silveira Júnior concedeu liminar após ação popular movida por candidatos que fizeram a prova e alegam que houve fraude, como a venda de gabarito.

De acordo com o magistrado, “o impacto causado na sociedade acerca de fraudes, se comprovadas, pode ser irreparável, levando ao descrédito os concursos públicos”. O principal caso alegado pelos candidatos é de um homem que teria concluído apenas a quarta série do ensino fundamental e, mesmo assim, acertou 100 questões.

O juiz estabeleceu multa diária de R$ 2 mil, caso o Estado e a banca organizadora, a Cebraspe, não suspendam o concurso, o que já foi anunciado pelo Governo de Alagoas. O magistrado deu ainda 20 dias para que o Estado e a Cebraspe apresentem a contestação e informem se desejam conciliar e se pretendem produzir provas em audiência de instrução, implicando o silêncio em falta de interesse.

FRAUDE

Os candidatos do concurso da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), que foi realizado no dia 15 de agosto, denunciaram que aprovados teriam comprado o gabarito do exame. O resultado final foi divulgado no dia 10 deste mês.

Em áudios que circulam nas redes sociais, os candidatos dizem que, dentre os aprovados, há filhos de criminosos, presidiários ou ex-presidiários. As informações ainda dão conta que um dos aprovados possui sete passagens pela polícia e teria sido preso novamente, nos últimos dias.

À Gazetaweb, os candidatos relataram que as pessoas envolvidas na compra dos gabaritos teriam sido aprovadas na primeira prova, mas não na segunda. E que alguns realizaram apenas o exame para soldado, porque não era preciso fazer a prova de redação. Ainda segundo eles, das 120 questões, os envolvidos no esquema teriam respondido 100, acertando todas elas.

A suspeita é que, pelo menos, 150 pessoas teriam sido beneficiadas, de acordo com as informações que estão sendo veiculadas entre os candidatos.