Imagem
Menu lateral
Imagem
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3

Imagem
Menu lateral Busca interna do GazetaWeb
Imagem
GZT 94.1
GZT 101.1
GZT 101.3
MIX 98.3
compartilhar no whatsapp compartilhar no whatsapp compartilhar no facebook compartilhar no linkedin
copiar Copiado!
ver no google news

Ouça o artigo

Compartilhe

HOME > notícias > MUNDO

'Inferno na Terra', diz órgão da ONU após ataque de Israel a Rafah

Em postagem nas redes sociais, Unrwa se manifestou; Israel bombardeou acampamento de refugiados


				
					'Inferno na Terra', diz órgão da ONU após ataque de Israel a Rafah
Parentes de palestinos, mortos em ataques israelenses em Rafah, lamentam enquanto corpos são levados ao centro de saúde Tel Al-Sultan em Rafah. Hani Alshaer/Anadolu via Getty Images

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados Palestinos (Unrwa) afirmou ter conversado com famílias vítimas do bombardeio israelense a um acampamento de refugiados perto de Rafah, na Faixa de Gaza. E os relatos são “horríveis” e comparam a situação como “inferno na Terra”.

“Há relatos de vítimas em massa, incluindo crianças e mulheres entre os mortos. Gaza é o inferno na terra. As imagens da noite passada são mais uma prova disso”, postou a agência nas redes sociais.

Leia também


				
					'Inferno na Terra', diz órgão da ONU após ataque de Israel a Rafah
Palestinos feridos são levados ao Hospital dos Emirados Árabes Unidos. Hani Alshaer/Anadolu via Getty Images

45 mortos no “inferno”

A Defesa Civil da Faixa de Gaza afirmou que o número de mortos chegou a 45, além de dezenas de feridos. Os bombardeios aconteceram durante a noite de domingo (26/5), e deixou as tendas do acampamento completamente incendiadas.

O ataque também fez com que países como Egito, Jordânia, do Kuwait e do Qatar protestassem oficialmente. Como integrantes do grupo que tenta o cessar-fogo entre o grupo extremista Hamas e Israel, alertaram que a ação poderia prejudicar o recomeço das conversas, com uma trégua e a libertação de reféns.

Israel, por sua vez, confirmaram que um avião atingiu “um complexo do Hamas em Rafah” e matou Yassin Rabia e Khaled Nagar, altos funcionários do grupo extremista. Segundo o país, os militares estavam “cientes de relatos que indicam que, como resultado do ataque e do incêndio desencadeado, vários civis na área foram feridos”.

“O incidente está sob revisão”, comunicou o país.

O ataque aconteceu pouco dias depois de o Tribunal Internacional de Justiça, ordenar a Israel a suspensão de bombardeios a Rafah. Segundo o funcionário da Defesa Civil de Gaza Mohammad al-Mughayyir disse à agência de notícias AFP, ele teria visto muitos corpos carbonizados.

“Vimos corpos carbonizados e membros desmembrados. Também vimos casos de amputações, crianças, mulheres e idosos feridos”, contou.

App Gazeta

Confira notícias no app, ouça a rádio, leia a edição digital e acesse outros recursos

Aplicativo na Google Play Aplicativo na App Store
Aplicativo na App Store

Relacionadas