Forças Armadas capturam Dairo 'Otoniel' Usuga, traficante de drogas mais procurado da Colômbia

Estados Unidos ofereciam recompensa de US$ 5 milhões pela ajuda para localizá-lo

Dairo Antonio Usuga, conhecido como Otoniel, o mais procurado traficante de drogas da Colômbia e líder do Clã del Golfo, foi capturado no sábado (23) durante uma operação realizada pelas Forças Armadas do país.

A Colômbia ofereceu uma recompensa de até 3 bilhões de pesos (cerca de US$ 800 mil) por informações sobre o paradeiro de Otoniel, enquanto o governo dos Estados Unidos ofereceu uma recompensa de US$ 5 milhões pela ajuda para localizá-lo.

"Este é o golpe mais duro que se desferiu no narcotráfico neste século no nosso país, comparável somente com a queda de Pablo Escobar", comemorou o presidente colombiano, Iván Duque, em mensagem à nação.

Depois de passagens como guerrilheiro de esquerda e depois paramilitar, Otoniel, de 50 anos, se tornou o líder da gangue criminosa Clan del Golfo, ou Gulf Clan, um grupo de narcotraficantes.

O Clã del Golfo tem cerca de 1.200 homens armados – a maioria ex-membros de paramilitares de extrema direita – e está presente em 10 das 32 províncias da Colômbia.

As autoridades colombianas lançaram a Operação Agamenon em 2016 enquanto trabalhavam para cercar Otoniel, matando e capturando dezenas de seus tenentes, perseguindo suas finanças e forçando-o a estar constantemente em movimento, segundo a polícia.

Em 2017, foi publicado um vídeo em que Otoniel anunciava sua intenção de se submeter à justiça, mas o plano nunca se concretizou.

Em março, a polícia colombiana e a Agência Antidrogas dos Estados Unidos capturaram a irmã de Otoniel, Nini Johana Usuga, que foi extraditada para os Estados Unidos para enfrentar acusações de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Além do tráfico de drogas, Clan del Golfo está envolvido com mineração ilegal, dizem as autoridades, enquanto o governo acusa o grupo de ameaçar e matar líderes comunitários em todo o país.