Chile ganha maior plantação de maconha para uso terapêutico

Plantas serão utilizadas para pesquisa e terapias alternativas

Uma fundação e 20 municípios chilenos inauguraram a maior plantação de maconha para uso terapêutico da América Latina, na qual são cultivadas 6.900 sementes de cannabis, que serão utilizadas para pesquisa e terapias alternativas.
A plantação, localizada nos campos da cidade de Colbún, pode beneficiar gratuitamente cerca de 4.000 pacientes em tratamento de doenças oncológicas, epilepsia refratária ou dor crônica, disse o jornal La Tercera.
Com a iniciativa, impulsionada pela Fundação Daya, espera-se colher 1,5 milhão de toneladas de gomos entre os meses de março e maio, sob a supervisão do Serviço Agrícola e Pecuário do Chile.
"Esta fase de plantio é essencial para essa plataforma colaborativa de desenvolvimento da maconha medicinal... o Chile está na vanguarda do tema, pois atualmente temos a maior plantação da América Latina", disse Ana María Gazmuri, presidente da Fundação Daya.
O projeto conta com o apoio técnico da Universidade de Valparaíso, enquanto o laboratório Knop, juntamente com o Instituto Nacional do Câncer e dois hospitais públicos, se encarregaram dos estudos clínicos, com o objetivo de criar ao menos três medicamentos distintos.
A inauguração da plantação ocorre no momento em que o Congresso chileno avança lentamente no debate de um projeto para descriminalizar o autocultivo da maconha para uso medicinal e recreativo.