Casos de dengue em Maceió crescem 6,6% até primeira semana de julho, aponta SMS

Casos de chikungunya e zika apresentaram redução de 24,56% e 36%, respectivamente

Até a primeira semana de julho de 2021, Maceió registrou um aumento de 6,6% nos casos de dengue - doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti -, se comparado com mesmo período de 2020. Já os casos de chikungunya e zika apresentaram redução de 24,56% e 36%, respectivamente. Os dados foram divulgados no início da noite desta segunda-feira (26), pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Segundo o levantamento, a capital alagoana teve 507 notificações relacionadas aos casos de dengue. No ano passado, o total de casos notificados chegou a 476. Este ano, 16.537 imóveis passaram por inspeções.

Os dados do 1º Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti (LIRAa) mostram que 64% dos bairros da capital alagoana estão com situação satisfatória em relação ao risco de ocorrência de epidemia de arboviroses. Neste 1º LIRAa, foram detectados índices elevados de infestação – com risco de epidemia – nos já os bairros do Pinheiro (13,4%), Ponta da Terra (11,9%), Pitanguinha (11,5%), Canaã (10,2%), Jardim Petrópolis (10%) e Ponta Verde (9%), entre outros, apresentam índices elevados de infestação, com risco de epidemia, após percentual de índices de infestação predial acima de 4%.

De acordo com a SMS, entre os tipos de criadouros predominantes encontrados durante a pesquisa, a equipe constatou potencial em depósitos em nível de solo ou que podem ser removidos, como tampas de balde, potes, tonéis, caixas d’água no chão, vasos de planta descartáveis, sucatas em terrenos baldios, etc.

“Orientamos toda a população a se manter alerta em relação ao acúmulo de água em recipientes que possam servir de criadouro para o mosquito, gerando aumento da transmissão das arboviroses. Dessa forma, é preciso que cada cidadão promova a inspeção no seu próprio domicílio semanalmente para descarte de materiais”, disse a gerente Carmem Samico.

Disque Dengue

A população pode informar ao município qualquer local que apresente características propícias para a proliferação do mosquito, como terrenos baldios, casas abandonadas ou com piscinas desativadas, por meio do Disque Dengue, no número 3312-5495.

*com informações da SMS.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p