Maceió chega a 206 anos com avanços de olho no futuro

Prefeito JHC projeta a capital com dignidade para maceioense e transformação da realidade atual

São 206 anos de muita beleza natural, desafios e conquistas. A capital de todos os alagoanos chega neste 5 de dezembro com mais dignidade na grota e na orla. Nas escolas e nos espaços públicos. A gestão JHC vem pontuando e driblando adversidades impostas pelo passado. Para começar a herança de mais de R$ 330 milhões foi o primeiro obstáculo.

O “rombo” encontrado nas contas do Município serviu de combustível para honrar a confiança depositada na gestão atual. A sangria teve que ser estancada e a receita enxugada. A Prefeitura de Maceió fechou então o primeiro trimestre economizando 30% nos gastos com combustíveis, locação de veículos e passagens aéreas. O racionamento chegou a R$ 1,5 milhão. Só de economia no gasto com combustível na frota da Segurança Comunitária, por exemplo, foi de R$ 50 mil (de janeiro a maio) – 25% que o mesmo período de 2020.

Maceió completa 206 anos - Foto: Itawi Albuquerque/Secom Maceió

O secretário João Felipe, da Economia, é pontual ao explicar que as contas da Prefeitura não estavam organizadas de modo adequado. Ou seja, “arrumar a casa” era essencial para que os avanços que Maceió tanto precisa pudessem sair do papel.

“Um pacote de ajuste fiscal foi feito para que o Município tivesse uma previsibilidade de suas receitas e despesas. Com este ‘dever de casa’ feito, conseguimos trazer o pagamento de nosso servidor comissionado para o dia 5, que antes era todo dia 10”, confirmou o secretário.

O ‘dever de casa’ foi feito tão à risca que o prefeito JHC paga antecipado os vencimentos dos servidores referente ao mês de dezembro. Para ele, é fundamental chegarmos no aniversário de Maceió com muito a ser comemorado e destacado.

“Como sempre falo, vou dar dignidade novamente a este povo que tanto me orgulha. Estamos transformando gradativamente, aos poucos, cada cantinho desta cidade fantástica”, pontuou o prefeito.

Maceió chega a 206 anos com avanços de olho no futuro - Foto: Secom Maceió

Para a secretária de Gestão, Rayane Tenório, trata-se diretamente de um gesto de respeito com o servidor. “Fechamos a torneira da ineficiência para podermos investir e valorizar o servidor”, resume.

E os investimentos estão aí como o Maceió Tem Pressa, que está dando um banho de asfalto, drenagem e saneamento básico na parte alta de Maceió. São quase 300 mil maceioenses saindo da lama e poeira para gozarem a vida em uma rua sem esgoto ao céu aberto.

Desde o seu lançamento, em julho, a iniciativa já pavimentou mais de 50 km em 11 bairros. Além de proporcionar qualidade de vida de maneira direta para os moradores, as obras também estão garantindo mais de 270 empregos diretos aos maceioenses.

Em paralelo, o programa Mais Asfalto vai levando pavimentação onde nunca existiu. O secretário municipal de Infraestrutura, diz que este tipo de obra pode até parecer pequena, sem importância, mas não é. Vandebilto Magalhães exalta o valor humanístico da chegada do asfalto nesta localidade. “É melhoria de vida. Qualidade de vida para o dia a dia desta população que tanto esperou”, afirmou o secretário.

O Mais Asfalto já passou por avenidas como Comendador Gustavo Paiva e Brigadeiro Eduardo Gomes de Brito, em Cruz das Almas; Rua Novo Horizonte (Grota do Ari), localizada entre o Jacintinho e Cruz das Almas; Conjunto Eustáquio Gomes de Mello e o Conjunto Village Campestre. Ao todo, são mais de 55 mil maceioenses contemplados com asfalto na porta.

Dentro das obras estruturantes, a Rota do Mar – antiga Ecovia Norte – está entre as prioridades. O investimento da obra é de R$ 26 milhões, com recursos da Prefeitura de Maceió e do Governo Federal, por meio dos ministérios do Turismo e do Desenvolvimento Regional. Quase 100 mil pessoas serão beneficiadas com a nova via que oferecerá uma alternativa rápida e segura de deslocamento aos maceioenses da parte alta para a parte baixa.

Maceió chega a 206 anos com avanços de olho no futuro - Foto: Secom Maceió

Mas nada se compara à transformação em curso que está ocorrendo no entorno da Lagoa Mundaú. O Parque da Lagoa vai levar moradia, entretenimento e vida digna àqueles que nunca tiveram um olhar mais atento do Poder Público.

São 1.776 apartamentos que estão sendo erguidos pela Prefeitura de Maceió, em parceria com o Governo Federal. O que se traduz em 1.776 famílias deixando as casas de papelão em meio à lama da lagoa.

“Encaro esta obra como a mais importante dos últimos anos, pois estamos dando verdadeiramente, uma vida digna para estas pessoas que tanto precisam”, destacou o prefeito JHC.

O cuidar das pessoas é levado em à sério. Famílias com filhos matriculados na escola ganham dinheiro pela quantidade de alunos na rede de ensino. É o programa BEM, que beneficiou 54 mil estudantes regularmente matriculados na rede municipal de Maceió, garantindo a permanência deles em sala de aula. Cerca de 42 mil famílias foram amparadas pelo BEM, que teve todos os pagamentos efetuados com sucesso em parceria com a Caixa Econômica Federal.

“Muitas famílias vivem um momento delicado neste final de ano. Muitos estão desempregados, além de estarmos vivendo em meio à ameaça de uma nova variante da Covid-19. Então, decidimos antecipar a sexta parcela do BEM para a primeira quinzena deste mês para atenuar esse período de incertezas”, destacou o secretário municipal de Educação de Maceió, Elder Maia.

Maceió completa 206 anos - Foto: Itawi Albuquerque

Escolas sendo reformadas, ampliadas e outras sendo criadas. No geral, 100 unidades educacionais passaram por reformas, manutenção e demais retoques para o retorno às aulas, com a devida segurança.

Tudo isso foi alcançado, em meio a uma pandemia que levou medo e aflição à muitas famílias. Mas a condução eficiente da vacinação conseguiu conter a desconfiança dando segurança à economia, ao turismo e ao cidadão. Maceió alcançou 80% de imunização de sua população, permitindo, inclusive, a manutenção das festas de Réveillon e a reabertura do turismo.

O coordenador do Gabinete Integrado de Enfrentamento à Covid-19, Claydson Moura, ressalta que a decisão foi tomada com responsabilidade e planejamento.

“Desde o início da campanha, já tínhamos planejado que ao atingir 60% de segunda dose, reduziríamos a quantidade de pontos fixos devido ao alto custo de manutenção. Por determinação do prefeito JHC, aguardamos chegar aos 80%. Com a meta alcançada, estamos levando a vacinação contra a Covid para 20 unidades de saúde espalhadas por toda Maceió, sem necessidade de agendamento”, explicou Moura.

É a segurança e eficiência reconhecida pelo Ministério da Saúde que colocou a capital alagoana entre as mais eficientes em vacinação no Brasil. Deste modo, praias como Ponta Verde, Pajuçara, Francês recebem os visitantes que chegam pelo aeroporto e porto de Maceió. Campanhas tocadas pela Secretaria Municipal de Esporte, Turismo e Lazer incrementam a imagem de destino seguro, em plena pandemia.

Como se não bastasse uma pandemia para driblar, a administração ainda encara o problema do afundamento de solo nos bairros do Mutange, Bebedouro, Pinheiro e arredores. Ronnie Mota, o coordenador do GGI dos Bairros, recordou as ações de enfrentamento que estão sendo desenvolvidas pela Prefeitura de Maceió e que aproximadamente 60 mil pessoas tiveram que deixar suas casas.

“Várias demandas estão surgindo, na mesma velocidade que 50 mil a 60 mil pessoas saíram de suas casas e a Prefeitura precisa garantir infraestrutura, saúde, habitação e outras assistências tanto aos que saíram quanto aos que ficaram. A Prefeitura de Maceió está fazendo um levantamento minucioso para que a Braskem possa reparar minimamente esses danos causados”, esclareceu.

Maceió chega a 206 anos com avanços de olho no futuro - Foto: Secom Maceió

Mota relatou ainda que a Prefeitura segue monitorando as áreas afetadas diuturnamente, bem como as áreas do entorno do Mapa 04 de Linhas e Ações Prioritárias, em vigor desde dezembro de 2020, oportunidade que citou as comunidades dos Flexais de Cima, de Baixo e de parte da Marques de Abrantes.

“Ajudamos a Defesa Civil com a questão do ilhamento socioeconômico e do isolamento social e temos mantido diálogo com a população fora do mapa, fomos os primeiros a discutir com a Caixa Econômica Federal sobre a restrição dos Ceps. O GGI tem essa função de manter os canais de diálogo com a população para que esse sentimento de hipossuficiência possa ser desfeito”, afirmou.

A Prefeitura de Maceió não tem medido esforços para atenuar a dor destas pessoas. E planejando deste modo, uma cidade mais inteligente com a contribuição dos próprios cidadãos. É que o planeja o programa Inovaberta, que pretende colher do povo as soluções de seus próprios problemas. “É uma iniciativa inovadora que deve transformar a cidade”, completa o secretário Antonio Carvalho, de Governança.