Emoção e revolta marcam sepultamento de PM alagoano morto no Rio

Momento de despedida reuniu cerca de 500 pessoas em um cemitério de Maceió

Emoção e revolta marcaram o sepultamento do soldado da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), Edmar Felipe Alves dos Santos, nesta quinta-feira (30), no Cemitério Parque das Flores, em Maceió. O PM foi surpreendido por um criminoso armado ao sair no portão de casa, depois de ouvir tiros em uma residência vizinha, no Rio de Janeiro.

O comandante da Polícia Militar de Alagoas, Paulo Amorim, ressaltou que o militar era um "excelente pai de família". "Um momento triste, lamentável, uma tragédia, onde o nosso irmão Edmar, um excelente policial militar e pai de família foi cumprir uma missão pelo Ministério da Justiça junto com outras corporações. De forma covarde, ele foi morto por um meliante, por um bandido, um assassino”, lamentou.

Imagens mostraram o momento em que o criminoso fugia depois de atirar na companheira e disparar tiros contra o PM Ademar.

O comandante da Polícia Militar ainda lembrou que o Edmar voltaria para Alagoas no próximo dia 9 de dezembro.

“Embarcamos um Edmar vivo, saudável, com mais trinta policiais e a gente esperava que eles voltassem agora dia 9, faltando poucos dias, regressassem para Alagoas com a missão cumprida para passar o Natal com seus familiares, voltarem aos seus lares e à Polícia Militar. Infelizmente nós lutamos contra o desconhecido, combatemos o desconhecido", acrescentou Paulo Amorim.

Por volta de 500 pessoas, a maioria militares, com representação da Força Nacional, compareceram ao sepultamento. Emocionados, parentes do PM preferiram não falar com a imprensa.

Ademar integrava a PM/AL desde 2020, tinha 36 anos, era casado e pai de uma menina de apenas um ano. Ele chegou a ser socorrido pelos colegas de farda e levado para o Hospital da Base Aérea do Campo dos Afonsos, em Marechal Hermes, mas não resistiu.

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p