Laudo confirma que padrasto agredia enteado de 5 anos com prática de tortura, diz MP/AL

Antônio Carlos do Nascimento foi denunciado pelos crimes de tortura, lesão corporal grave, ameaça, cárcere privado e violência doméstica; ele está preso desde o dia 21 de março

O Ministério Público de Alagoas (MP/AL) informou, no final da tarde desta quinta-feira (20), que a ação penal em desfavor de Antônio Carlos do Nascimento, de 27 anos, que é acusado de agredir e torturar o enteado de 5 anos, em Pão de Açúcar, no interior de Alagoas, segue curso regular e confirmou que as lesões foram praticadas com emprego de tortura.

“Eis que foi expedida a Carta Precatório para sua citação e, após citado, ele terá prazo para apresentar defesa. Nesse ínterim, foi juntado o laudo pericial, que confirmou que as lesões foram praticadas com emprego de tortura, bem como houve a utilização de meio cruel, corroborando aquilo que foi descrito pela denúncia, após a análise dos depoimentos e fotos constantes nos autos”, explicou o promotor Ramon Formiga.

O promotor ainda lembrou que o menino de 5 anos, que estava internado há 27 dias para tratamento e a realização de procedimentos cirúrgicos, recebeu alta do Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca, nesta quarta (19).

“Houve também a boa notícia de que o menor recebeu alta hospitalar, sendo imprescindível que seja acompanhado por um psicólogo, diante de todos os traumas que sofreu com esse padrasto”, concluiu Ramon Formiga.

O MP/AL denunciou o padrasto Antônio Carlos pelos crimes de tortura, lesão corporal grave, ameaça, cárcere privado e violência doméstica. Ele está preso desde o dia 21 de março.

Após a prisão, o acusado confessou à polícia que torturava o enteado por ciúmes da relação dele com a mãe e revelou o sofrimento que submetia a esposa e outra enteada de nove anos.