Justiça determina que Estado convoque reserva técnica da Educação

Em caso de descumprimento, serão estipuladas multas ao Estado e ao governador

O governo do Estado tem até a próxima segunda-feira (12) para convocar os concursados da reserva técnica da Educação, sob pena de multas ao Estado e ao próprio governador. A decisão foi tomada pelo juiz Ney Alcântara, no dia 15 de dezembro do ano passado. 
Segundo informações do magistrado, a ação foi impetrada pela Defensoria Pública e acatada pela Justiça, com o argumento de que o "Estado tem por obrigação chamar os concursados, em substituição aos monitores". 
"Professores que foram aprovados no concurso devem ser chamados, caso contrário, não haveria necessidade de fazer concurso. O governo não pode tratar os monitores como professores, eles são auxiliares destes. Esperamos que o Executivo cumpra e convoque todos os concursados aprovados dentro do número de vagas determinadas no edital", disse Ney. 
Em caso de descumprimento, o Estado fica sujeito ao pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil e o governador Renan Filho (PMDB) pode ser multado em R$ 500 por dia, além da equipe envolvida na organização do concurso.
A decisão judicial foi prorrogada no último dia 16, para ser cumprida em cinco dias. Porém, o Judiciário entrou em recesso e o prazo foi suspenso e retomado nessa segunda (4). 
O Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) voltou a cobrar imediatamente a convocação da reserva, bem como a ampliação da jornada de 20h para 40h, para sanar a carência de profissionais da rede.