Acusado de tentar matar homens por brigas entre torcidas em Maceió é condenado a 8 anos de prisão

Julgamento foi conduzido pelo juiz Filipe Munguba, no Fórum da Capital; Jeanderson Jorge Silva Santos cumprirá a pena em regime inicial fechado

O réu Jeanderson Jorge Silva Santos, acusado de tentativa de homicídio cometida contra Diego Rogens de Oliveira Souza e Mário Fernando Cabral de Mafra Pires, em setembro de 2011, foi condenado a oito anos de prisão. O julgamento foi conduzido pelo juiz Filipe Munguba, no Fórum da Capital.

Segundo o juiz, o réu é reincidente, ou seja, possui maus antecedentes, responde a outras ações penais e também esteve preso devido a esses processos.

Jeanderson cumprirá a pena em regime inicial fechado. Ele está preso desde junho de 2019 e não poderá apelar em liberdade.

“Não houve mudança nas circunstâncias de fato desde a prolação das decisões que decretou e mantiveram a prisão preventiva do réu, razão pela qual se adota como razões de decidir os fundamentos lançados nas referidas ocasiões [...], mormente a necessidade de garantia da ordem pública, em virtude da gravidade concreta da conduta, revelada pelo modus operandi”, diz a decisão.

De acordo com a acusação, no dia do crime, Diego estava na porta do condomínio onde morava na companhia de Mário e outros dois colegas, quando Jeanderson e um comparsa - não identificado - apareceram em um automóvel e desferiram disparos de arma de fogo.

Na ocasião, Diego foi lesionado nas regiões da barriga, nádegas e braço. O alvo do réu era Diego, mas por erro na execução, um dos disparos atingiu Mário na região das nádegas. Ambos conseguiram fugir e obtiveram atendimento hospitalar.

De acordo com a Justiça, o crime teria sido motivado por diversas brigas entre Jeanderson e Diego. As testemunhas e a própria vítima relataram, no inquérito policial, que o crime foi motivado pela rivalidade entre as torcidas organizadas denominadas Mancha Azul e Comando Vermelho.

*com informações da assessoria.