Acusado de matar pai de cantor é condenado a 14 anos de reclusão

Manoel Bernardo de Lima Filho deverá cumprir a pena em regime inicialmente fechado

O ex-policial militar Manoel Bernardo de Lima Filho foi condenado a 14 anos de reclusão pela morte de José Cardoso Albuquerque, pai do cantor Geraldo Cardoso. O julgamento ocorreu na última semana, em Palmeira dos Índios.
"A culpabilidade do réu restou evidenciada, sendo bastante reprovável a sua conduta, visto que, na condição de policial militar e responsável pela segurança pública, deveria agir dentro da legalidade, visando evitar a ocorrência de crimes e não praticá-los", afirmou a juíza Luana Cavalcante de Freitas, que presidiu a sessão.
Os jurados reconheceram a materialidade e a autoria do crime e decidiram pela condenação do réu, que deverá cumprir a pena em regime inicialmente fechado. Além da reclusão, Manoel Bernardo terá que pagar multa de R$ 10 mil à família da vítima.
Em plenário, a defesa sustentou que o ex-PM não foi o autor dos disparos contra José Cardoso Albuquerque.
O caso
O crime ocorreu no dia 27 de setembro de 1989, por volta das 16h30, na rua Antônio Martins, em Palmeira dos Índios. De acordo com os autos, o réu, por motivo fútil e sem possibilitar defesa, efetuou diversos disparos contra a vítima, que não resistiu aos ferimentos.
"O motivo do crime foi para atender as ordens do então delegado da época, que, segundo os autos, era responsável por diversas execuções no interesse de pessoas influentes da região", explicou a magistrada.