Operação da PF investiga fraudes contra sistema financeiro no Sertão; prejuízo chega a R$ 1,5 mi

Grupo simulava contratos de promessa de compra e venda, comodato e de outras formas capazes de sugerir titularidade de uma propriedade rural

A Polícia Federal em Alagoas (PF/AL) deflagrou, nesta quinta-feira (02), a operação policial denominada Pasto de Papel, que tem como objetivo investigar crimes contra o Sistema Financeiro Nacional cometidos na região de Delmiro Gouveia/AL e adjacências, no Sertão do Estado.

A Operação Pasto de Papel teve apoio do Banco do Brasil (BB), instituição bancária que opera a concessão dos financiamentos relacionados ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar.

As investigações indicam que um determinado grupo, através de simulações de contratos de promessa de compra e venda, comodato e de outras formas capazes de sugerir titularidade de uma propriedade rural, além de outras fraudes na instrução dos pedidos de financiamento, logrou êxito em obter a liberação dos recursos, que tão logo disponibilizados nas contas bancárias, eram destinados para finalidades diversas do Programa, sendo que, em grande parte dos casos investigados, o dinheiro circulava entre os membros da própria associação criminosa ou eram transferidos para terceiros, que, aparentemente, não tinham qualquer atividade profissional que justificassem as transferências.

Aproximadamente, 50 policiais federais foram mobilizados para dar cumprimento a 10 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo juízo da 11° Vara Federal de Alagoas, Subseção de Santana do Ipanema/AL.

Estima-se que o valor total dos contratos investigados aproxima-se de R$ 1,5 milhão.

Os documentos apreendidos serão juntados ao inquérito policial instaurado na Polícia Federal em Alagoas, que está em andamento.