Coqueiro Seco é o 1º de Alagoas e o 3º do país no ranking do programa Previne Brasil

Cidade atingiu seis notas 10 em sete indicadores avaliados pelo Ministério da Saúde

Foi divulgado pela prefeitura de Coqueiro Seco, nesta segunda-feira (4), que o município ocupa o primeiro lugar em Alagoas e o terceiro no país no ranking do programa Previne Brasil, criado em 2019, pelo Governo Federal.O programa visa o financiamento da Atenção Primária do SUS.

A avaliação do programa é realizado três vezes por ano e leva em consideração o repasse de incentivos financeiros aos municípios. No total, a cidade atingiu nota de 9.12. De acordo com a prefeita Decele Damaso, 100% dos recursos federais recebidos foram aplicados na saúde primária. "A gente aproxima a gestão das pessoas e entre nossas secretárias o trabalho é compartilhado. Assim, conseguimos mapear o município e executar as ações de maneira organizada”, acrescentou a gestora.

O município de Coqueiro Seco atingiu nota 10 em seis dos sete indicadores avaliados pelo Ministério da Saúde (MS), além de alcançar máxima na estratégia de cobertura de pré-natal, atendimento a gestantes, diabéticos, hipertensos, cuidado com saúde bucal e realização de exame citopatológico.

A secretária municipal da Saúde de Coqueiro Seco, Ionara Toledo, afirmou que: “Quando o programa iniciou Coqueiro Seco estava na posição 50. Trabalhamos em equipe, informando a população e aplicando os recursos de maneira eficiente em todos os itens propostos pelo Ministério da Saúde. Ser o primeiro só aumenta a responsabilidade de todos."

O objetivo do programa Previne Brasil é transferir recursos aos municípios, tendo como base as melhores evidências e experiências internacionais, permitindo conhecer os indivíduos atendidos e as suas necessidades de saúde, acompanhá-los e assegurar o cuidado adequado.

As notas que são recebidas pelos municípios levam em conta parâmetros de atendimento superior a 95% e do alcance de metas estabelecidas pelo indicador. Os dados foram coletados a partir do acompanhamento, que é feito pelo MS, através dos sistemas do Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB), dentro do Previne Brasil, com parâmetros, metas e pesos do cálculo.

*com informações da assessoria.