Mulher é morta a pedradas e estuprada com galho de árvore em Joaquim Gomes

Principal suspeito da morte cruel de Maria do Carmo é o próprio marido dela

Policiais militares localizaram, na manhã deste domingo (21), o corpo de uma mulher em um matagal, que fica em terras da fazenda Pedro Omena, na zona rural de Joaquim Gomes, a 63 quilômetros de Maceió. O cadáver estava em adiantado estado de decomposição e, conforme avaliação preliminar na PM, a vítima foi, já identificada, foi assassinada com requintes de crueldade e há possibilidade dela ter sido estuprada também.
Os militares do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp) revelaram que o corpo é de Maria do Carmo da Conceição, que tinha 58 anos. Ela estava desaparecida e foi encontrada com o rosto totalmente desfigurado e parcialmente despida. A primeira hipótese é que a mulher tenha sido agredida a pedradas e com galhos de árvores.
Pela cena, é possível perceber sangue por toda parte e, segundo a polícia, o acusado começou as agressões à beira da estrada e depois arrastou a vítima até o mato, onde ela foi encontrada.
De acordo com os militares, o algoz teria usado pedras para cometer o crime e um galho de árvore para abusar sexualmente de Maria do Carmo. Os parentes apontam o próprio marido da vítima como principal acusado do crime brutal.

Corpo foi localizado neste domingo por policiais militares do BPRp - Foto: FOTO: Luzamir Carneiro

As filhas do casal relataram, à polícia, que o padrasto vinha ameaçando com frequência a mãe e dizia que, ao invés dela o deixar, ele preferia matá-la, e que o relacionamento de 12 anos dos dois já vinha de uma série ameaças.
A investigação do caso ficará na responsabilidade da Delegacia de Polícia de Joaquim Gomes. O corpo de Maria do Carmo vai ser removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Maceió após ser periciado pelo Instituto de Criminalística (IC).