Praia do Patacho recebe o selo Bandeira Azul nesta sexta-feira (10)

Objetivo do Programa é elevar o grau de participação e conscientização da sociedade

A praia do Patacho, em Porto de Pedras, recebe o selo Bandeira Azul nesta sexta-feira (10) e se torna a única praia de Alagoas a receber este certificado. A praia também já é considerada uma das mais bonitas do mundo. O hasteamento oficial será na orla da praia e vai contar com a coordenadora do Programa Bandeira Azul no Brasil, Leana Bernardi, autoridades e toda a comunidade.

Para o prefeito Henrique Vilela, receber a bandeira não é apenas conquistar a maior premiação global , por uma entidade internacional como a Foudation for Envairoment Education -FEE, mas saber que a administração das ações do turismo estão no caminho certo. “A parceria com a Secretaria Estadual de Turismo, que nos deu todo apoio, foi fundamental nessa conquista”, ressaltou o gestor municipal.

A secretária Zélia Cavalcanti acrescenta que em um país com 7.500 km de costa e mais de 2 mil praias, ser uma das únicas 4 do Nordeste- as outras três ficaram com a Bahia- só aumenta a responsabilidade com a qualidade da água, que hoje segue padrões internacionais de balneabilidade, segurança e gestão ambiental.

Porto de Pedras tem um compromisso com a preservação do turismo ambiental, sustentável e de base comunitária. O empenho é para sempre ofertar locais limpos, preservados e aptos para que os nossos turistas possam aproveitar, não apenas o Patacho, mas as praias do Centro, de Lajes e de Tatuamunha.

Para se qualificar para o Bandeira Azul, o município cumpriu uma série de critérios com foco em gestão ambiental, qualidade da água, educação ambiental, segurança e serviços, turismo sustentável e responsabilidade social. O principal objetivo do Programa é elevar o grau de participação e, consequentemente, de conscientização da sociedade, empresários do segmento náutico e gestores públicos quanto à necessidade de proteger os ambientes marinho/costeiro, incentivando a realização de ações que conduzam à resolução dos problemas existentes na busca da qualidade e proteção ambiental.

A coordenadora do Programa Bandeira Azul no Brasil, Leana Bernardi, destacou que a premiação vem para vencer os desafios encontrados nos últimos tempos. “Por conta da pandemia, houve dificuldade para alguns em realizar testes de balneabilidade da água e certas atividades relacionadas ao programa. No entanto, com a ajuda de nossos parceiros, todos os critérios foram cumpridos, ganhando reconhecimento do júri nacional e internacional”, concluiu Bernardi.

Além do MTur, também fazem parte do Júri Nacional do Programa os ministérios da Educação e do Meio Ambiente, a Secretaria de Coordenação e Governança Patrimônio da União do Ministério da Economia, o Instituto Ambientes em Rede, a Associação Náutica Brasileira – ACATMAR, a Agência Brasileira de Gerenciamento Costeiro, a Fundação SOS Mata Atlântica, a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático e a Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente – ANAMMA . Anualmente, as entidades se reúnem para aferição do cumprimento dos critérios e deliberação sobre quais praias, marinas e embarcações serão submetidas ao Júri Internacional.

Bandeira Azul

O Programa Bandeira Azul promove o desenvolvimento sustentável em áreas de água doce e marinhas. O Programa desafia as autoridades locais e os gestores de praia a alcançarem altos padrões de qualidade em quatro temas: qualidade da água, gestão ambiental, educação ambiental e segurança. Ao longo dos anos, o Bandeira Azul tornou-se um rótulo ecológico altamente respeitado e reconhecido trabalhando para reunir os setores de turismo e meio ambiente de maneira local, regional e internacional.

O Programa Bandeira Azul foi criado pela FEE – Foundation for Environmental Education (www.fee.global), uma instituição internacional com diversos integrantes representando seu respectivo país. No Brasil, o Operador Nacional do Programa é o IAR – Instituto Ambientes em Rede (www.iarbrasil.org.br).