Levantamento da UFPel já testou 206 alagoanos para Covid-19

Financiada pelo Ministério da Saúde, pesquisa busca estimar infecção e traçar comportamento do vírus no país

Diversos moradores de Maceió e de Arapiraca, no Agreste Alagoano, já foram testados para o novo coronavírus como parte da pesquisa "Evolução e Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional", da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) com apoio do Ministério da Saúde. Foram 172 na capital e 34 em Arapiraca, de 250 que serão feitos por município, até esta segunda-feira (18).
A pesquisa é o primeiro grande levantamento feito no país para estimar a real taxa de infecção por Covid-19. Testes rápidos estão sendo feitos em moradores de residências previamente sorteadas. Além da estimativa de infecção, também serão analisados fatores do comportamento do vírus em território nacional, que podem contribuir para seu combate.
Em Alagoas, Arapiraca e Maceió serão parte do levantamento, que inclui outras cidades de todo o país.
Os testes estão sendo aplicados por profissionais do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), e os dados sendo analisados por pesquisadores da UFPel. O Ministério da Saúde financia a empreitada nacional.
Além do teste rápido, são aplicados questionários sobre infecção por doenças preexistentes e possíveis sintomas da doença. Em caso de teste positivo, os demais residentes são testados e instruídos a ficarem em casa ou procurarem postos de atendimento médico, a depender do caso.