Estado e Prefeitura de Maceió anunciam suspensão imediata da vacinação a adolescentes de 12 a 17 anos

Imunização para o público com deficiência permanente ou comorbidades continua em Alagoas

O Governo de Alagoas anunciou, na manhã desta quinta-feira (16), nas redes sociais, a suspensão imediata da vacinação contra a Covid-19 a adolescentes de 12 a 17 anos.

A medida, segundo informa o Estado, atende orientação do Ministério da Saúde (MS). A suspensão independe do tipo de vacina que vinha sendo aplicada.

A imunização, no entanto, continua para aqueles que apresentam deficiência permanente ou comorbidades.

Em nota, a Prefeitura de Maceió também comunicou que a vacinação está suspensa.

"Após determinação do Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde de Maceió informa que a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades está suspensa, conforme Nota Informativa Nº 1/2021, emitida nesta quinta-feira (16). A vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos com deficiência permanente ou comorbidades segue normalmente, assim como dos remanescentes de outros grupos maiores de 18 anos. O Município reforça que está preparado para vacinar os idosos com a dose de reforço para pessoas com 70 anos ou mais e aguarda a nota técnica para dar início"

COLETIVA

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) realiza, nesta sexta-feira (17), às 12h, coletiva de imprensa para abordar detalhes sobre a suspensão da vacinação contra a Covid-19 nos adolescentes de 12 a 17 anos, sem comorbidades. A coletiva será na sede da Sesau e terá a participação do secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, e de técnicos da Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa) e do Programa Nacional de Imunização (PNI) em Alagoas.

MINISTÉRIO DA SAÚDE

O Ministério da Saúde publicou uma nota informativa, ontem, voltando atrás sobre a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades. Agora, a orientação do ministério é que não seja feita a vacinação deste grupo.

A imunização deve ficar restrita a três perfis específicos:

  • adolescentes com deficiência permanente;
  • adolescentes com comorbidades;
  • e adolescentes que estejam privados de liberdade.