Rafael Silva perde para Teddy Riner e fica em sétimo lugar no judô

Brasileiro, dono de duas medalhas olímpicas de bronze, perde para bicampeão olímpico na repescagem e dá adeus à competição individual nos pesados. Francês conquista medalha

O brasileiro Rafael Silva terminou sua participação individual nas Olimpíadas de Tóquio em sétimo lugar. Nesta sexta-feira, ele foi derrotado pelo francês Teddy Riner, campeão olímpico em 2012 e 2016, por chave de braço e não tem mais chances de medalha na categoria peso-pesado (além de 100kg). Já o decacampeão mundial seguiu na competição e conquistou o bronze, sua quarta medalha olímpica na carreira.

Em menos de um minuto, Riner conseguiu aplicar o golpe em Baby, primeiro um waza-ari, depois o francês já puxou o braço do brasileiro, que bateu e a luta foi encerrada.

- O Teddy, a gente luta desde que eu comecei nas categorias de base. É um atleta que eu tenho bastante dificuldade, a força dele incide bastante sobre meu judô. Mas fiz meu máximo, busquei ganhar a pegada, mas infelizmente não consegui - analisou Rafael em entrevista ao SporTV após a luta.

Rafael Silva foi bronze nas Olimpíadas de 2012 e 2016, além de ter na carreira as medalhas de prata (2013) e bronze (2014 e 2017) em Campeonatos Mundiais. Entrou nas Olimpíadas como quinto cabeça de chave.

Este foi o último dia de competições individuais do judô. Nas categorias anteriores, o Brasil conquistou dois bronzes, com Daniel Cargnin (até 66kg) e Mayra Aguiar (até 78kg). No peso pesado feminino (acima de 78kg), Maria Suelen Altheman se lesionou nas quartas de final e se despediu d disputa individual.

A CAMPANHA

A estreia foi sofrida, com vitória sobre o atleta do Azerbaijão Ushangi Kokauri. O início foi bem equilibrado, com muitas trocas de pegada. Com dois minutos de luta, o brasileiro se defendeu de um ataque do rival e acabou levando uma punição. Na segunda metade da luta, Baby tentou mais entradas e passou a dominar as pegadas. Após o tempo regulamentar se esgotar, o combate foi para o golden score.

Com um minuto de prorrogação, Baby levou mais uma punição, ficado a uma de ser eliminado. Mas ai, conseguiu um belíssimo golpe para vencer o combate.

Nas quartas, o georgiano Guram Tushishvvili dominou toda a luta e o brasileiro não conseguiu fazer nenhuma entrada. É bem verdade que Tushishvili também não aplicou nenhum golpe, mas dominou a pegada o tempo inteiro. A terceira punição veio já no golden score, uma espécie de prorrogação.

Japão conquista nono ouro; Riner leva o bronze

A japonesa Akira Sone, de 21 anos, conquistou a medalha de ouro no peso-pesado feminino (mais de 78kg) ao derrotar a cubana Idalys Ortiz por acúmulo de punições na final da categoria. Com o triunfo, o Japão fechou as disputas individuais no judô com nove medalhas de ouro e 11 no total.

Poderiam ser 12, mas Hisayoshi Harasawa perdeu a disputa do bronze para Teddy Riner. O francês o derrotou também por acúmulo de punições. O ouro ficou com o tcheco Lukas Krpalek, que venceu o georgiano Guram Tushishvili, com uma técnica de sacrifício seguida de imobilização a 13 segundos do fim da luta. Krpalek se sagrou bicampeão olímpico: foi medalha de ouro no meio-pesado (até 100kg) na Rio 2016.

Confira como ficaram os pódios no peso-pesado:

Feminino (+78kg):

🥇 Akira Sone (JAP)

🥈 Idalys Ortiz (CUB)

🥉 Iryna Kindzerska (AZE)

🥉 Romane Dicko (FRA)

Masculino (+100kg):

🥇 Lukas Krpalek (RTC)

🥈 Guram Tushishvili (GEO)

🥉 Teddy Riner (FRA)

🥉 Tamerlan Bashaev (ROC).