Cássio, do Corinthians, se manifesta sobre ameaças de morte: 'Espero que a justiça seja feita'

Goleiro do Timão reforçou seu profissionalismo e disse não querer ficar calado diante de 'tanta injustiça'

O goleiro Cássio, do Corinthians, usou suas redes sociais na tarde desta quinta-feira (7) para se manifestar sobre as ameaças de morte que ele e sua esposa receberam. O episódio ocorreu após torcedores organizados protestarem e cobrarem o elenco no treino desta quinta-feira, e a esposa do atleta ter rebatido um torcedor nas redes sociais.

O capitão do Timão disse ter enviado os áudios com xingamentos e fortes ameaças, no qual o usuário do Instagram "$heik Caçador" mandou ao personal trainer de Janara, esposa do atleta, para a polícia cuidar do caso.

Ainda, o goleiro desafiou os torcedores a mostrar um momento durante sua passagem pelo alvinegro paulista no qual tenha sido 'vagabundo' ou 'paneleiro', termos que foram usados hoje e que aparecem em algumas manifestações.

Uma das críticas de parte da torcida alvinegra é que o camisa 12 seja um dos integrantes de uma 'panela' dentro do elenco, que estaria tentando minar o trabalho de Vítor Pereira no Corinthians. Desde a temporada passada, o goleiro teve uma queda de rendimento, e passou a ser alvo constante de parte da torcida.

Na nota, Cássio reforçou seu profissionalismo durante os mais de dez anos no time do Parque São Jorge, afirmando ter se dedicado ao máximo, sempre 'procurando ajudar dentro e fora dos campos os treinadores, atletas e dirigentes que passaram por aqui.'

No dia 2 de fevereiro de 2022, marcou dez anos da apresentação do goleiro no alvinegro paulista. Desde então, ele se tornou um dos maiores ídolos da história do Corinthians, sendo protagonista nas conquistas da Libertadores e Mundial de Clubes, em 2012. Ele é o sexto jogador com mais partidas pelo Timão na história, com 577, e recordista de títulos, com nove.

Por todo esse contexto e os acontecimentos recentes envolvendo sua família, ele decidiu não ficar calado diante do que considera 'tanta injustiça'.

VEJA NOTA EMITIDA PELO GOLEIRO CÁSSIO

"Resolvi me manifestar depois dos fatos que aconteceram com minha família nesta quinta-feira (07/04).

Encaminhei à polícia os áudios recebidos por minha esposa, para que, quem tenha a competência necessária, possa cuidar do caso. Não posso aceitar esse tipo de ameaça de forma alguma. Espero que a justiça seja feita.

Sempre fui um jogador que lidou bem com críticas, discordei e me defendi quando necessário, além de admitir falhas quando entendi que elas aconteceram.

Mas desafio alguém a provar que eu tenha ficado mais de dez anos no Corinthians sendo "vagabundo" ou "paneleiro", os termos que foram usados hoje e que aparecem em algumas manifestações vez ou outra.

Sempre fui um jogador que me dediquei ao máximo e procurei ajudar dentro e fora dos campos os treinadores, atletas e dirigentes que passaram por aqui. Muitas vezes, entrei em campo sem as minhas melhores condições para ajudar o Corinthians. E fiz isso sem esperar nada em troca. Fiz porque sou assim. Sou muito grato ao Corinthians e procuro retribuir essa gratidão deixando tudo o que posso a cada dia.

Tenho total consciência que devo provar sempre porque cheguei a quase 600 jogos e conquistei nove títulos por esse clube. Nunca sentei em cima das glórias, até porque não ganhei nada sozinho e quero seguir ganhando enquanto eu tiver contrato vigente.

Por tudo isso, não aceito o que aconteceu e não quis ficar calado diante de tanta injustiça.

Um abraço a todos.

Cássio"

DIA DE PROTESTOS

O Corinthians teve uma manhã agitada em seu CT nesta quinta-feira. Em meio aos trabalhos no Joaquim Grava, o elenco recebeu torcedores organizados, insatisfeitos com o desempenho do time e atuação de alguns jogadores. O foco foi dar força para Vítor Pereira e cobrar os atletas que não estão rendendo.

Um grupo de 14 membros da Gaviões da Fiel teve autorização para ingressar nas dependências do CT. Eles tiveram uma conversa com algumas lideranças do elenco profissional, os quais têm desagradado à torcida, como é o caso de Cássio, Fagner, Willian, Paulinho, Fábio Santos e Gil.

Além de falarem com esses atletas mais experientes, os torcedores se reuniram com o técnico Vítor Pereira, o presidente Duilio Monteiro Alves, o gerente de futebol Alessandro e o diretor de futebol Roberto de Andrade. O discurso da Gaviões foi de manifestar apoio ao treinador português e saber se há algum racha entre elenco e comissão técnica.

Antes, a Gaviões da Fiel emitiu uma nota através de suas redes sociais, fazendo duras cobranças ao elenco, afirmando que a "paciência acabou", e ameaçando "Ou joga por amor ou joga por terror".