Marido de maratonista assassinada deixou bilhete confessando crime

Investigação do caso achou carta do companheiro da atleta olímpica admitindo a culpa pela morte da esposa

O caso de Agnes Tirop, maratonista e recordista mundial do Quênia que foi encontrada morta, ganhou novos contornos. A investigação do caso achou um bilhete assinado por Ibrahim Rotich, marido de Tirop, confessando o crime.

Rotich é considerado o principal suspeito de ter cometido o crime e tentou deixar o Quênia rumo a um país vizinho.

“Agora, temos evidências esmagadoras para confirmar o assassinato. O laudo da autópsia e a carta de confissão do suspeito, bem como a descoberta das armas que mataram a atleta – uma faca e uma clava de madeira. São fortes evidências”, disse Andolo Munga, um dos investigadores do caso.

O corpo de Agnes Tirop foi encontrado na última quarta-feira (13/10) em uma poça de sangue na residência do casal.