Em último duelo, Curry tem dia de coadjuvante e enaltece rival Kobe

Atual MVP da temporada vê sua equipe perder partida e holofotes para veterano dos Lakers; no entanto, celebrou oportunidade de se despedir de ídolo

A presença de Kobe Bryant era incerta horas antes da partida no Staples Center. As dores no ombro direito atrasaram a confirmação de que o astro de uma geração faria sua última partida diante do principal nome da atualidade. Enquanto parte da opinião pública dos Estados Unidos apontava o jogo como uma "'passagem de bastão", o esperado era mais um show de Stephen Curry. No entanto, a vitória surpreendente dos Lakers sobre os Warriors mostrou que, mesmo na reta final da carreira, Kobe, aos 37 anos, ainda é capaz de ser a estrela e atrair para si os holofotes. Mesmo quando parece algo improvável. 
O camisa 24 dos Lakers jogou por 24 minutos, marcou 12 pontos e deu três assistências. Do outro lado, Curry jogou 34 minutos, com 18 pontos e quatro assistências. Nos números gerais, o astro dos Warriors foi mais efetivo. Mas numa visão ampla, foi Kobe quem terminou na frente. Algo notado no semblante de ambos após a partida. Mesmo chateado com o revés, Stephen Curry elogiou a atmosfera criada para as partidas de despedida do jogador que considera um de seus ídolos. 
- Tinha uma energia boa que envolvia esse jogo aqui, que bom que ele pode jogar. É meio surreal. Ainda vão vê-lo no tour de despedida. Mas no ano que vem não vou jogar mais com ele, é estranho isso de ser a última vez. Ele é uma lenda, você pode ver isso pela forma que a torcida ama ele. Apesar da derrota, foi divertido estar aqui hoje - disse Curry.

Kobe Bryant com proteção no ombro dolorido - Foto: FOTO: Amanda Kestelman

- Está mais estável. No último jogo estava dirigindo no carro, fui mexer para ligar o rádio e não conseguia mexer o braço. Não é algo legal. Estou assegurando que está estável - disse Bryant. 
O astro dos Lakers reconhece que, em sua equipe, precisa assumir cada vez mais função de mentor dos mais jovens do time. Quer fazer isso até o último jogo. Neste domingo, no entanto, estendeu seu papel até para os rivais do Golden State Warriors. Aos 37 anos, o veterano revelou a conversa que teve com Curry, mas apontou Draymond Green como o jogador capaz de guiar a franquia do Golden State em busca de recordes da temporada. Sobretudo após a derrota deste domingo.
- Ele o único que precisa manter o dedo no nervo com essa equipe. Não pode relaxar, nem se sentir confortável. Acho que ele é o único capaz de criar esse conflito, essa tensão no vestiário. Porque se eles não tiverem isso, podem ficar em apuros nos playoffs - disse.
Neste domingo, todos os jogadores do Los Angeles Lakers entraram em quadra com pares de meias em homenagem ao astro da NBA. O próximo mês será marcado cada vez mais por ações de despedida, uma vez que a franquia não tem mais chances de playoffs, e Kobe vai dar adeus adeus após a temporada regular. Para ele, a ideia desta rodada deu sorte e foi aprovada.
- O poder das meias (risos)! Devem ser as meias, né? Achei legal. Depois de jogar tantos anos na liga, acho legal coisas assim. Meus filhos adoraram. 
Os Warriors haviam vencido os três confrontos anteriores contra os Lakers nesta temporada. Mesmo perdendo, o Golden State segue com 55 vitórias, e conheceu sua sexta derrota na temporada regular da NBA. Segue, contudo, líder da Conferência Oeste. A franquia de Oakland também continua na perseguição ao recorde histórico do Chicago Bulls de Michael Jordan, que conseguiu 72 vitórias e dez derrotas. Já o Los Angeles Lakers estão na lanterna da mesma Conferência, com apenas 13 vitórias e 51 derrotas.

As meias em homenagem ao astro Kobe Bryant - Foto: FOTO: Getty Images

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p