Após asa rachada e furo em pneu, freio provoca abandono de Massa

Depois de precisar largar dos boxes, brasileiro abandonou corrida na Áustria a oito voltas do fim em razão de problema de superaquecimento nos freios

Definitivamente, não foi um bom dia para Felipe Massa neste domingo de GP da Áustria, vencido por Lewis Hamilton, da Mercedes. Mesmo tendo garantido o 10º lugar no treino classificatório, o brasileiro precisou largar dos boxes após a Williams identificar uma rachadura na asa dianteira e precisar trocar a peça antes da largada. Na sequência, Massa vinha fazendo boa corrida de recuperação e aparecia no top 10, quando precisou fazer um pit stop extra em razão de um furo de pneu. Após cair para 14º, recolheu na 63ª das 71 voltas, em razão de um superaquecimento dos freios. 
- A corrida estava OK para mim. Eu estava lutando e ganhando posições desde o início e tinha um bom ritmo durante a maior parte da prova. Infelizmente, sofri um furo de pneu e precisei parar parar colocar pneus novos. Eu estava poupando os freios durante toca a corrida, mas no fim eu fiquei atrás do Gutiérrez e as temperaturas aumentaram ainda mais e precisei parar - explicou.
Chefe de engenharia e performance da Williams, Rob Smedley deu mais detalhes sobre a corrida do brasileiro. Segundo ele, a rachadura no aerofólio que fez o piloto largar dos boxes foi provocada pela vibração excessiva provocada pelas controversas zebras.
- Nossa corrida com Felipe foi ditada pela nossa prioridade de sempre, que é a segurança. Encontramos alguns danos estruturais na asa dianteira causados, acreditamos, pelas vibrações nas passagens sobre as zebras. Trocamos a peça por questões de segurança, o que fez ele largar do pitlane. Portanto, sabíamos que a corrida não seria fácil. Ele começou com os ultramacios e andou o quanto pôde até começar a criar os "macarrõezinhos". Depois, ele pôs os macios e o ritmo pareceu bom. Infelizmente, ele teve um furo em razão de um corte e precisamos que fazer mais um pit. Na sequência, tivemos que retirá-lo da prova porque a temperatura disparou quando ele ficou atrás do Gutiérrez. Entendemos que foi a coisa certa a fazer - explicou o dirigente.
Companheiro de Felipe Massa na Williams, Valtteri Bottas também não foi muito além. O finlandês largou em sétimo e largou em nono, marcando dois pontos. O resultado dos pilotos deixou a equipe frustrada, já que o Circuito de Spielberg, historicamente, favorecia os carros da Williams. Massa fez a pole em 2014 e foi 2º em 2015. Bottas foi 3º em 2014 e 5º no ano seguinte. A troca do asfalto, no entanto, parece ter atrapalhado a escuderia.
- A corrida de Valtteri não foi tão tumultuada, mas ele só foi capaz de somar alguns pontos. Sofremos com o desgaste dos pneus, e o ritmo dele não foi o ideal, apesar de ele ser um dos melhores do grid em administrar os pneus. Infelizmente, como equipe, creio que não entendemos bem a melhor combinação para o asfalto novo - completou Smedley.
Apesar dos dois pontos, Bottas saiu desapontado:
- Definitivamente, esperávamos mais pontos hoje. O problema principal foi fazer os pneus funcionarem até o fim. É algo que precisamos entender melhor antes de Silverstone, porque as temperaturas lá são bastante similares. Não acho que o nosso carro estava tão ruim neste fim de semana. Nós apenas tivemos dificuldades com os pneus. Foi decepcionante, mas será importante para aprendermos e seguirmos em frente.
Após nove etapas disputadas, Felipe Massa segue em 9º no Mundial de Pilotos com 28 pontos. Valtteri Bottas se mantém em 7º, agora com 54, mas viu o oitavo colocado Max Verstappen disparar, graças ao 2º lugar na corrida. Os pilotos voltam a ação já no próximo fim de semana, com o GP da Inglaterra.  

Receba notícias da GazetaWeb no seu WhatsApp e fique por dentro de tudo! Basta acessar a nossa comunidade:

https://4et.us/rvw00p